Neoclassicismo

Movimento artístico e cultural do Novo Classicismo

O Neoclassicismo surgiu nos países da Europa a partir do século XVIII, representando um importante movimento artístico e cultural, que modificou a literatura, pintura, escultura e arquitetura da época. Ele perdurou até as três primeiras décadas do século XX.

Muitos estudiosos acreditam que o movimento possui uma relação com o Romantismo, devido a característica de valorização do passado greco-romano presente nas obras neoclássicas. A simplicidade da arte e o heroísmo grego eram alguns dos aspectos mais admirados das civilizações desse período.

Além disso, o Neoclassicismo surgiu em um contexto de forte influência do Iluminismo, valorizando os padrões estéticos da arte Clássica, principalmente na pintura, mas se opondo aos rebuscamentos e dramaticidades presentes no Barroco e Rococó.

Nessa época, os filósofos pregavam o evangelho da “razão”, cultuando a nobreza, a clareza e a pureza. Portanto, a crença nesses aspectos contribuiu para o surgimento de uma nova tendência estética que predominaria as novas criações artísticas.

Para entender como o estilo neoclássico foi representado nas principais obras, é importante analisar cada segmento.

Arquitetura neoclassicista

A arquitetura neoclassicista valorizava em seus monumentos a utilização de materiais nobres tradicionais como o mármore, granito e madeira, e os modernos como ferro fundido, por ser de baixo custo e com maior funcionalidade, além do ladrilho cerâmico.

As construções eram estruturadas usando o modelo de arco 180 graus de inspiração romana, porém adaptado aos novos processos técnicos que constituem os sistemas simples de construção (trilítico).

No teto, a utilização de estruturas planas, abóbodas e berço ou de aresta emoldurada com cúpulas nas zonas centrais das construções e assentes em tambores rodeados de colunas com entablamentos circulares.

Imagem Neoclassicismo
Representação do Neoclassicismo no teto da Catedral de Almudema em Madrid, Espanha. (Foto: Pixabay)

As cidades tiveram de se adaptar com a construção de grandes projetos. Por isso, desenharam largas avenidas para abrigar os modernos edifícios públicos, universidades, academias e igrejas. Essas construções conservam as mesmas características até os dias atuais.

Entre os maiores exemplos da arquitetura presente no Neoclassicismo, vale destacar o “Panteão de Paris” na França. Além dele, é possível presenciar características desse período em outros monumentos como o “Portão do Brandemburgo“, em Berlim.

Artistas influentes

  • Pierre Barthelmy Vignon (1763-1828): o arquiteto francês inovou na construção da igreja Pórtico de La Medeleine, com inspirações clássicas como os templos coríntios romanos, construída em Paris no ano de 1942;
  • James Stuart (1713 – 1788): um dos primeiros arquitetos a utilizar deliberadamente as formas gregas;
  • Lorde Burlington (1695 -1753): o arquiteto construiu uma representativa estrutura do Neoclassicismo, a “Chiswick House“, em Middlesex, perto de Londres.

Vale destacar, a influência de Napoleão Bonaparte que, além de um grande líder político e militar durante a Revolução Francesa, foi um grande incentivador do movimento.

prédio do panteão de Paris
Panteão de Paris é uma das mais famosas obras da arquitetura do neoclassicismo. (Wikipedia)

Pintura neoclassicista

As pinturas desse período inspiravam-se nas artes renascentista e greco-romana. A harmonia entre as cores valorizava esse aspecto, contribuindo para a disseminação do estilo neoclássico nas artes plásticas. Além disso, podemos citar a presença do Realismo (representação da realidade vivida pela sociedade) nas obras.

Essas características contrastavam-se à “desordem” do Barroco e ao gosto ilustrativo do Rococó, porém atendiam às exigências da clareza e o equilíbrio presente no pensamento iluminista.

Diante disso, a grande preocupação dos artistas do Neoclassicismo era externar formas de beleza eternas, mas que fossem resistentes ao tempo tanto quanto a produção artística greco-romana.

Artistas influentes

  • Jean Auguste Dominique Ingres (1780-1867): o pintor acreditava que a tarefa primordial da arte era produzir quadros históricos, por isso foi uma espécie de cronista visual da sociedade no seu tempo. Para ele, desenhar uma linha perfeita valia mais do que pintar os quadros.
  • Jacques-Louis David (1748–1825): o artista é considerado um dos principais pintores do Neoclassicismo. O pintor realizou trabalhos, como desenhos de trajes e cenários para eventos oficiais, a exemplo do “Festival do Ser Supremo “, sendo, inclusive, prestigiado pelo governo após a Revolução Francesa. Além disso, tornou-se pintor oficial do império de Napoleão Bonaparte.
Foto Neoclassicismo
O Juramento dos Horácios, pintura de Jacques-Louis David. (Foto: Wikipedia)

Antônio Canova (1757 -1822): além de pintor, foi um artista muito ativo na defesa dos ideais neoclássicos, mas as suas pinturas, apesar de pertencerem à escola, não atraiam a mesma atenção que outras artes do mesmo período.

Escultura neoclassicista

A escultura neoclassicista teve forte influência das formas clássicas do Renascimento. Os artistas do Neoclassicismo optavam pela cor branca natural do mármore. Os temas mais abordados estavam relacionados a mitologia e personagens gregos heroicos.

Artistas influentes

Entre os artistas, vale destacar Antonio Canova (1757-1822), pois ele inovou o período neoclássico assumindo o papel de desenhista, pintor, antiquário e arquiteto italiano, porém o destaque ia para a sua carreira de escultor.

Como escultor, Canova desenvolveu um estilo particular que, com o tempo, difundiu-se para outros países da Europa. Pois, o artista usava a beleza universal misturada ao pensamento clássico para valorizar suas obras.

Além disso, assim como nos antigos movimentos culturais, a exemplo do Renascimento, ele representava em suas esculturas símbolos do paganismo greco-romano, já que esculpia muitos deuses.

Neoclassicismo no Brasil

O Neoclassicismo chegou ao Brasil no século XIX, mais precisamente no ano de 1816. Embora o movimento não tenha tido muito representativa no país, é possível identificar algumas influências presentes nos monumentos, artes plásticas e obras da literatura.

O Arcadismo no Brasil, presente na literatura, buscava retratar a vida simples do campo e elementos da natureza. Entre os escritores que se encaixam nesse contexto está Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810) e Cláudio Manoel da Costa (1729-1789).

Na pintura, é importante destacar os pintores estrangeiros: Rugendas(1802-1858), Taunay (1755-1830) e Debret (1768-1848).

Os artistas abordaram, em suas pinturas, cenas do cotidiano brasileiro na primeira metade do século XIX, além de paisagens, animais típicos, indígenas e outros características da natureza.

Entre os projetos arquitetônicos, a “Casa França-Brasil“, no Rio de Janeiro, é um dos exemplos do desenvolvimento do Neoclassicismo no país.

Resumo sobre Neoclassicismo

O Neoclassicismo surgiu na Europa do século XVIII, modificando a literatura, pintura, escultura e arquitetura da época. Alguns estudiosos acreditam que o movimento possui relação com o Romantismo.

O Neoclassicismo também surgiu em um contexto onde o Iluminismo possuía forte influência, valorizando os padrões estéticos da arte Clássica.

Alguns de seus principais artistas foram: Pierre Barthelmy Vignon, James Stuart, Lorde Burlington, Jean Auguste Dominique Ingres, Jacques-Louis David, Antônio Canova, Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manoel da Costa, entre outros.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

MENDONÇA, Camila. Neoclassicismo; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/neoclassicismo >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 17:34.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]