O Escaravelho do Diabo

Os mistérios em torno das vítimas ruivas que recebem um escaravelho antes de serem assassinadas

O Escaravelho do Diabo” é um clássico da literatura infanto-juvenil. Publicado em 1974, a narrativa gira em torno da série de mortes que atingem as pessoas ruivas de uma pequena cidade do interior paulista.

Resumo

A história de “O Escaravelho do Diabo” tem início quando Hugo recebe um pacote misterioso que continha um escaravelho, espécie de besouro preto. Hugo não se assusta e nem se interessa pelo presente, pois acredita ser uma brincadeira de seus amigos.

No dia seguinte, ele é encontrado sem vida e com uma espada cravada em seu peito. Inconformado com o terrível assassinato do irmão, Alberto passa a investigar a morte para descobrir quem foi o autor do crime.

As coisas seguiram o seu rumo normal. O médico deu o atestado de óbito e o Inspetor Pimentel tomou conta do caso. Sua primeira providência foi reunir todos os empregados da casa. A cozinheira servia a família havia já quinze anos e adorava Hugo. O jardineiro – o único que dormia fora – num bairro distante – também gostava muito do rapaz. Quanto à arrumadeira e Pedro, o copeiro, eram indiferentes, cumpriam mecanicamente as suas obrigações sem afeição especial aos patrões. Todos tinham, ou melhor, não tinham álibis, pois à hora do crime dormiam sossegadamente nos respectivos quartos. Ninguém tinha visto ou ouvido coisa alguma.

Como Vista Alegre era uma pequena e pacata cidade no interior de São Paulo,  Alberto não pouparia esforços para esclarecer a morte do irmão. 

Livro O Escaravelho do Diabo
Livro “O Escaravelho do Diabo” de Lúcia Machado de Almeida. (Foto: Site Saraiva)

Certo dia ele encontra uma nota, na página de uma revista, que fala sobre um besouro igual ao que Hugo recebeu na antevéspera de morrer atravessado por uma espada.

Intitulado de “Insetos Curiosos”, a magazine ilustrava o escaravelho chamado de “Phanaeus ensifer”, pertencente à família Scarabaeidae, cujo o nome significa “portador de espada”.

Alberto então passa a procurar objetos antigos que possam lhe trazer alguma informação sobre o caso. Após algum tempo, encontra a mesma espada em um antiquário, mas o lojista não lembrava quem a havia comprado.

O jovem então alerta o inspetor Pimentel sobre as possibilidades do assassino estar à solta. Desde então passa a surgir novas vítimas na cidade.

  • Clarence O’Shea, filho da dona da pensão, morre envenenado por uma cápsula de cianureto colocada em meio aos seus remédios;
  • Maria Fernanda, cantora lírica, morre em meio a uma performance de “Carmen”, de Bizet, atingida por uma seta envenenada;
  • Galo da Serra, um pássaro de penas vermelhas em extinção que morre estrangulado no Zoo.

Rachel Saturnino foi a única vítima que sobreviveu aos ataques, mas fica com sequelas. Alberto procura mais uma vez o inspetor e seguem investigando juntos os crimes do assassino chamado de “inseto”, e também os motivos da morte de Hugo.

O sub-inspetor Silva se junta a dupla e percebe algo em comum entre todas as vítimas: são todas ruivas legítimas, com cabelos que lembram a cor do fogo e sardentas. Então, é dado um alerta a todas as pessoas ruivas, para que fiquem atenta a possíveis ataques.

No decorrer da investigação, Alberto conhece e se apaixona por Verônica. Ela era uma moça bonita e órfã, que vivia na pensão de Cora O'Shea junto com outros moradores. Nesse meio tempo, o padre Afonso e o Sr. Graz morrem carbonizados na paróquia.

O trio que investiga o caso do escaravelho passa a desconfiar que a solução do mistério está na pensão, inclusive suspeitam de Verônica, contudo não conseguem encontrar provas e as investigações são suspensas.

Nada de positivo foi provado contra os hóspedes da pensão de Cora O’Shea, se bem que prevalecessem as suspeitas contra cada um deles. O que aconteceu foi que Mr. Gedeon, Verônica, Elza e o cozinheiro, apesar de convenientemente defendidos pelos respectivos advogados, continuaram a ser olhados com desconfiança por todo mundo.

Anos depois, durante uma viagem pela Europa, Alberto liga os pontos da história e então descobre que “o inseto” era Rudolf Bartels, mais conhecido como Sr. Graz.

Bartels era um grande estudioso da vida dos besouros, chegando a ser considerado a maior autoridade da Europa. Porém, havia sido internado em um manicômio, muito anos atrás, após passar por um vexame durante a apresentação da sua grande descoberta, o besouro vermelho.

Deste então, o homem passou a dar algumas indícios de perturbação mental. Desinteressou-se de tudo e todos, obcecado exclusivamente com uma coisa: descobrir quem escondera o “Ignicornius”.

O responsável por expor Sr. Graz a tamanha humilhação era seu “parceiro”, Hans Schultz, um rapaz alto, de cabelos cor de fogo e rosto sardento. Desta forma, o homem se vingou assassinando todos os ruivos que conheceu após fugir do manicômio.

Por fim, Alberto pensa em Verônica, por tê-la julgado e o quanto ela sofreu com isso. Então retorna a Vista Alegre, encontra-se e juntos constroem uma família . Seu primeiro filho chama-se Hugo, em homenagem ao irmão.

Análise da obra “O Escaravelho do Diabo”

A obra é um grande clássico da literatura infanto-juvenil. A história, escrita por Lúcia Machado de Almeida, foi inicialmente publicada em capítulos pela revista “O Cruzeiro”, em dezembro de 1953.

Em 1974, “O Escaravelho do Diabo” tornou-se um grande sucesso ao ser publicado no formato de livro, integrando os clássicos da série Vaga-Lume, uma coleção de paradidáticos da Editora Ática voltados para o público infanto-juvenil.

O clássico brasileiro foi selecionado para o Programa Nacional de Biblioteca da Escola, em 1999, e em 2016 foi adaptado para o cinema com direção de Carlo Milani.

Personagens

  • Alberto: irmão da primeira vítima e um dos solucionadores do crime;
  • Inspetor Pimentel: inspetor que cuida dos crimes;
  • Cora O’Shea: irlandesa dona da pensão e mãe de Clarence O’Shea, tinha 50 anos e era um pouco surda
  • Mr.Gedeon: americano, hóspede de Cora O’Shea;
  • Sub-inspetor Silva: ajudante do Inspetor Pimentel e de Alberto;
  • Elza: copeira da pensão de Cora O’Shea e uma das suspeitas do crime;
  • Verônica: apaixonada por Alberto e uma das acusadas dos crimes.

 “O Escaravelho do Diabo”: vítimas

  • Hugo: primeira vítima, assassinado com uma espada espanhola cravada no peito;
  • Clarence O’Shea: filho de Cora O’Shea, morre envenenado por uma cápsula de cianureto colocada em meio aos seus remédios;
  • Rubi: cantora lírica, morre em meio a uma performance de “Carmen”, de Bizet, atingida por uma seta envenenada;
  • Galo-da-Serra: animal em extinção, é estrangulado até a morte e tem todas as suas penas cor de fogo arrancadas;
  • Padre Afonso: padre da paróquia, morre carbonizado;
  • Sr. Graz ou Rudolf Bartels: morre carbonizado junto ao padre Afonso durante incêndio na capela.

Sobre a autora 

Lúcia Machado de Almeida foi uma jornalista e escritora mineira, autora de diversos livros infanto-juvenis de sucesso nos anos 1980. “O Escaravelho do Diabo” é sua principal obra e foi um dos livros mais vendidos da coleção Vaga-Lume.

Seu primeiro trabalho literário foi o poema Desencanto, publicado no Estado de Minas, quando tinha 14 anos. O primeiro livro, “No Fundo do Mar”, foi publicado alguns anos depois.

Almeida também é autora de “Spharion: Aventuras de Dico Saburó” e “O Asteroide”. Entre os reconhecimentos conquistadas destaca-se o “Prêmio Jabuti” (1968), o mais tradicional prêmio literário do Brasil, pelo livro “Xisto no Espaço”.

A escritora faleceu em abril de 2005, aos 95 anos, vítima de pneumonia.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. O Escaravelho do Diabo; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/o-escaravelho-do-diabo >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:28.

Copiar referência