O Mágico de Oz

Clássico da literatura infantil

O Mágico de Oz” é um obra ficcional da literatura infantil que apresenta a história de Dorothy, uma garota órfã que mora com os tios em uma fazenda.

Devido a um forte ciclone, a jovem foi parar em uma terra encantada e sua tentativa de voltar para casa envolve uma série de aventuras ao passo em que ela faz novos amigos um tanto diferentes, como o Espantalho, o Homem de Lata, o Leão Covarde e o grande Mágico de Oz.

Resumo

Dorothy Gale é uma órfã que mora em uma pequena casa no estado de Kansas com tio Henry, que cuidava da fazenda, e a tia Em, mulher dele. A vida naquela região era humilde e pacata.  Dorothy não tinha vizinhos e sua única distração era com seu melhor amigo, o cachorro Totó.

A casa em que eles moravam era pequena, porque a madeira para a sua construção precisava ser trazida de carroça desde muito longe. Eram quatro paredes, um chão e um teto, que formavam uma única peça; e nesta peça ficavam um fogão a lenha com uma aparência bem enferrujada, um armário para os pratos, uma mesa, três ou quatro cadeiras e as camas.

Certo dia um ciclone atingiu a casa da família. Os tios da jovem conseguiram entrar no porão para se proteger da ventania, mas Dorothy precisava salvar Totó, que se escondeu debaixo da cama. Quando finalmente pegou o bicho e saiu ao encontro da tia, uma coisa estranha aconteceu: a casa rodopiou e começou a levantar voo devagar.

Horas e horas se passaram, e aos poucos Dorothy foi perdendo o medo; mas sentia uma grande solidão, e o vento uivava com tanta força à sua volta que quase ficou surda. Num primeiro momento, ela se perguntou se a casa iria se despedaçar quando tornasse a cair no chão; mas, com o passar das horas, como nada de terrível acontecia, parou de se preocupar e resolveu esperar com toda a calma para ver o que o futuro iria lhe trazer. Finalmente, arrastou-se pelo chão até a sua cama e deitou nela; Totó foi atrás e se estendeu ao seu lado. Apesar do balanço da casa e do barulho do vento, em pouco tempo Dorothy fechou os olhos e adormeceu profundamente.

Quando despertou, Dorothy e Totó estavam no país dos Munchkins. Se depararam com um grupo de homens que, apesar de terem sua altura, pareciam ser velhos. Eles vestiam roupas e chapéus azul e tinham grandes barbas.

Ao se aproximem da dupla, uma velhinha fez-lhe reverência e agradeceu por ter matado a Bruxa Má do Leste. Dorothy era uma garota inocente e inofensiva, por isso achou que tudo aquilo era um engano.

Foi quando ela deu um grito de espanto ao ver os pés da bruxa embaixo de sua casa de madeira. Porém, a Bruxa do Norte lhe explicou que a bruxa má fazia todos os Munchkins de escravos e eram obrigados a trabalhar dia e noite, todos os dias.

Graças a Dorothy eles estavam livres e, em agradecimento, ela recebeu os Sapatos de Prata. Mas, naquele momento, a garota só queria retornar para casa pois seus tios deveriam estar muito preocupados com seu desaparecimento.

A velha bruxa disse que ela deveria seguir para a Cidade das Esmeraldas, onde vivia o Grande Mágico de Oz, a única pessoa que poderia ajudá-la a voltar para o Kansas. Dorothy teria de caminhar pela perigosa estrada, que era toda calçada de tijolos amarelos, até chegar a Oz.

Beijada pela Bruxa do Norte, que desapareceu sem aviso, ninguém se atreveria a fazer mal a garota. Ela então seguiu uma longa viagem, atravessando às vezes regiões agradáveis e às vezes regiões horríveis e escuras.

Os novos amigos

Enquanto tenta chegar a Cidade das Esmeralda para ver o grande mágico, Dorothy faz novos amigos um tanto diferentes. O primeiro deles foi o Espantalho, que foi salvo pela garota de uma plantação de milho onde estava parado há tempos.

O Espantalho sonhava em ter cérebro, assim seguiu viagem com a jovem e o cachorro pois tinha certeza que o mágico de Oz realizaria seu desejo assim que chegassem a Cidade das Esmeraldas.

No caminho eles sentiram fome e encontraram macieiras. Entre as árvores apareceu o segundo amigo: o Lenhador de Lata, que estava enferrujado há tempos no meio de uma floresta e também foi salvo pela garota. Além de lhe contar sua história, se juntou a eles para pedir a Oz um coração.

Pela estrada, se depararam com o bosque fechado de árvores altas e um grande leão apareceu. O felino ameaçou atacar o grupo, mas a menina conseguiu convencer o animal a não feri-los e o convidou para essa aventura.

O Leão Covarde recusou, pois tinha medo, mas logo revelou que seu sonho era ter coragem para ser o destemido rei dos animais, assim acompanhou o grupo rumo ao encontro com o mágico de Oz.

O Mágico de Oz

Dorothy, Totó, o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde seguiram para a Cidade das Esmeraldas. Ao chegar no destino, foram obrigados a usar óculos de lentes verdes para entrar na cidade em que o mágico vivia.

Livro O Mágico de Oz
Livro “O Mágico de Oz” (1900) de L. Frank Baum. (Foto: Saraiva)

Conforme foi orientada pela bruxa, Dorothy relevou toda sua trajetória até ali e pediu ao mágico que a ajudasse a voltar para casa. O mágico concordou em ajudar a pequena Dorothy, mas só depois que ela matasse a outra bruxa má que viviam em Oz.

Só havia quatro bruxas em toda a Terra de Oz. Duas delas, as que vivem no norte e no sul, eram boas, já as do leste e do oeste eram bruxas más. Dorothy já havia matado uma delas e sobrou só uma bruxa má em toda a Terra de Oz: a que vivia no oeste.

Essa bruxa estava perseguindo o grupo, pois tinha uma doentia obsessão pelos sapatos dados a Dorothy e buscava vingança pela morte da irmã, a Bruxa Má do Leste. Durante um embate entre as duas, Dorothy jogou um balde de água na bruxa má e ela começou a se desfazer até desaparecer completamente.

Depois de tantas aventuras, em que cada um dos amigos enfrentaram seus próprios medos e viveram histórias fantásticas, a menina descobriu que seus Sapatos de Prata tinham poderes mágicos e podiam levá-la para qualquer parte do mundo.

O poder mágico dos sapatos poderia ter levado a garota para casa desde o primeiro dia que ela chegou na Terra de Oz, mas assim o Espantalho não teria o seu esplêndido cérebro; o Lenhador de Lata ficaria sem o seu adorável coração e o Leão teria continuado a ser covarde até morrer.

Abraçou o pescoço do Leão e lhe deu um beijo, acariciando docemente a sua cabeçorra. Em seguida deu um beijo no Lenhador de Lata, que chorava de um modo muito arriscado para as suas juntas. Mas abraçou com força o corpo macio e recheado do Espantalho em vez de beijar seu rosto pintado, e descobriu que ela própria estava chorando com a triste despedida dos seus queridos companheiros.

Por fim, depois de ajudar todos, Dorothy conseguiu retornar à fazenda dos seus tios e ficou extremamente feliz por ter de volta a sua vida normal.

Análise da obra “O Mágico de Oz”

Publicado em 1900, “O Mágico de Oz” foi escrito por L. Frank Baum e é o primeiro de uma série de catorze livros que relata as aventuras da menina Dorothy na fantástica Terra de Oz, tornando-se um clássico da literatura entre crianças, jovens e adultos.

Oz foi originalmente uma criação de Baum. Depois de seu falecimento outros escritores escreveram mais 26 outros livros sobre a Terra de Oz, acrescentando suas próprias criações e aventuras.

Considerada um best-seller ao longo de todo o século XX, traduzido para praticamente todos os idiomas, o livro sempre foi comparado a obra de Lewis Carroll, “Alice no País das Maravilhas”.

L. Frank Baum sempre defendeu que a leitura de livros infantis não deveria despertar tristeza ou sentimento ruim no leitor. Apesar da existência de bruxas más e enrascadas na sua história, ele não estimula a maldade, a vingança e o sofrimento.

Mesmo com enredo fantasioso, é possível detectar representações sociais na obra. Os amigos de Dorothy podem ser apenas um Espantalho, um Lenhador de Lata e o Leão Covarde para as crianças, porém para os adultos podem representar a inteligência, a bondade e a coragem. Além disso, indicam os três reinos da natureza: animal, vegetal e mineral.

Faça o download do PDF do livro “O Mágico de Oz”.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. O Mágico de Oz; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/o-magico-de-oz >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:46.

Copiar referência