O Pequeno Príncipe

Obra literária traduzida para mais de 220 idiomas e dialetos

O Pequeno Príncipe” é uma obra literária do francês Antoine de Saint-Exupéry, publicado pela primeira vez em 1943, nos Estados Unidos.

O título original em francês é “Le Petit Prince”, mas no Brasil é traduzido como “O Pequeno Príncipe” e em Portugal como “O Principezinho”.

“O Pequeno Príncipe” é uma das obras da literatura mais traduzidas do mundo, e foi publicada em mais de 220 idiomas e dialetos. Além disso, é o terceiro livro mais vendido do mundo.

Além de escrever, as ilustrações da obra também foram feitas por Antoine de Saint-Exupéry. O livro já foi adaptado diversas vezes, tanto no cinema quanto em espetáculos teatrais e musicais.

O livro, a princípio, era direcionado às crianças, mas é marcado por seu teor filosófico e poético que crianças podem não compreender. Desta forma, atualmente é uma obra lida por muitos adultos.

Capa do livro O Pequeno Príncipe
Capa do livro “O Pequeno Príncipe”. (Foto: Site Saraiva)

Personagens

Cada personagem simboliza algo dentro da história. Então, junto com a descrição do personagem, há também frases impactantes de cada um.

O Pequeno Príncipe

É o protagonista da obra, uma criança que veio de um asteroide e viaja pelo universo. De todas as viagens que já fez, na Terra é a primeira vez que tem contato com os adultos.

Ele fica espantado com a incoerência e contradições dos adultos. Na obra, ele representa a esperança, o amor e a criança que há dentro de cada adulto.

Quando a gente acaba a toalete da manhã, começa a fazer com cuidado a toalete do planeta.

O Piloto

É o narrador da história e assume o papel de protagonista juntamente com o Pequeno Príncipe. Quando criança, sonhava em ser artista, mas foi desencorajado pelos adultos.

É o desenhista da história, o que faz ele perceber que a sua visão de mundo se aproxima da visão de uma criança.

O Piloto é a prova de que nunca é tarde para ir atrás dos sonhos e a busca no deserto representa a importância de aprendizagem por meio da exploração pessoal.

As pessoas grandes aconselharam-me deixar de lado os desenhos de jiboias abertas ou fechadas.

A Raposa

É um personagem que aparece repentinamente e misteriosamente estabelecendo uma amizade com o Pequeno Príncipe.

A raposa é sábia e atua como tutora, ensinando lições valiosas para o Pequeno Príncipe, mesmo ela pedindo para ser domada por ele.

A Raposa ensina que cativar quer dizer conquistar e requer responsabilidade, por um amor, por um amigo, e pelo que conquistamos em nossa vida profissional e pessoal.

Além disso, ensina ao príncipe que o amor implica responsabilidade, e isso faz com que ele valorize mais Rosa.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

A Rosa

A Rosa é o objeto de amor do Pequeno Príncipe, mas ela tem um comportamento melodramático e orgulhosa.

A sua atitude contraditória, faz com que o Príncipe parta em viagem. E as memórias que tem delas, faz com que ele sinta saudade e tenha vontade de regressar ao seu planeta.

A rosa representa o amor que deve ser cuidado e cativado. Ela apresenta características bem humanas, tanto as boas quantos as más.

É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas.

O Carneiro e a Caixa

O Pequeno Príncipe pede ao Piloto para desenhar um carneiro, mas não fica satisfeito com desenho. Então, o Piloto desenha uma caixa e afirma que dentro dela vivia um carneiro.

A caixa representa o poder da imaginação, pois ela supera o conhecimento, não tem limites e impulsiona novas descobertas.

O Pequeno Príncipe fica preocupado que o carneiro coma a sua Rosa. Então, o Carneiro simboliza a dualidade da entrada do amor, ou seja, o prazer do amor, mas também o sofrimento que pode vir junto.

Quando o mistério é muito impressionante, a gente não ousa desobedecer.

A Serpente

É o primeiro personagem que o Pequeno Príncipe encontra na Terra. A serpente que o informa que no deserto não há pessoas. Embora fale sempre por enigmas, é o personagem mais franco de toda a história.

É possível um paralelo com a serpente bíblica que convenceu Adão e Eva a comer o fruto proibido, expulsando-os do Éden.

A Serpente simboliza a morte, e é a responsável por enviar o Pequeno Príncipe à sua casa por meio de sua mordida venenosa.

Mas sou mais poderosa do que o dedo de um rei.

O Rei

O Rei é o primeiro dos “donos do mundo” que o Pequeno Príncipe encontra no primeiro planeta que ele visita. O Rei acha que tudo e todos são seus súditos e que pode controlá-los.

O Rei tenta fazer com que o Pequeno Príncipe fique no seu planeta, mas não consegue. Após a sua partida, o Rei o nomeia embaixador.

Mesmo sendo mandão, o Rei possui um coração bom e ensina com sabedoria que cada um pode dar aquilo que tem.

É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar.

Monumento de homenagem ao Pequeno Príncipe
Um tributo a “Le Petit Prince” em cima do Asteroide B-612 – Museu do Pequeno Príncipe, Hakone, Japão. (Foto: Wikipédia)

O Chapéu e o Elefante dentro da jiboia

É o desenho que é feito pelo Piloto que os adultos não entendiam, pois parecia um chapéu. Mas em outro desenho, do tipo de um raio-X, mostra que se tratava de um elefante que foi devorado por uma jiboia.

Essa ilustração tem o intuito de mostrar que nem sempre aquilo que vemos é a realidade. Ou seja, ensina a ver além das aparências.

Por que é que o chapéu faria medo?
Desenhei então o interior da jiboia, para que as pessoas grandes pudessem compreender.
Elas têm sempre necessidade de explicações.

O Bêbado

O Bêbado representa o personagem que foge da sua realidade, por ter vergonha da sua própria realidade.

O Príncipe sente pena dele, pois ele é envolvido em tristeza, mas fica intrigado com o seu comportamento perante a vida.

O Bêbado é um personagem que faz um alerta contra os vícios e a ignorância das pessoas em tentar fugir da realidade ou dos problemas através de vícios como o álcool.

– Por que é que bebes?
– Para esquecer.
– Esquecer o que?
– Esquecer que eu tenho vergonha.
– Vergonha de quê?
– Vergonha de beber!

O homem de negócios

Segundo o personagem principal, o homem de negócios é parecido com o Bêbado, pois ele está tão preocupado em ser dono das estrelas para ter mais estrelas, que esquece de desfrutar da vida.

O homem de negócios é o único personagem que recebe críticas do protagonista. E ele simboliza a usura dos adultos que estão em envolvidos em seus negócios e esquecem da vida.

E de que te serve possuir as estrelas?
Serve-me para ser rico.
E para que te serve ser rico?
Para comprar outras estrelas, se alguém achar.

O Acendedor de lampiões

É o personagem que acende e apaga os lampiões ao anoitecer e ao amanhecer. Mas é um trabalho extenuante, pois o planeta gira muito rápido e o sol se põe a cada minuto.

Ele representa as pessoas que trabalham e não tem o bom senso de criticar. Cumprem as suas tarefas, muitas vezes sem sentido ou sem entender o porquê, mas não questionam e continuam cumprindo-as.

Os acendedores de lampiões continuam trabalhando, mesmo sabendo que não vão chegar a lugar nenhum.

Aí é que está o drama! O planeta de ano em ano gira mais depressa, e o regulamento não muda!

O Geógrafo

É um personagem que possui um conhecimento geográfico imenso e que escreve vários livros, mas não conhece o seu próprio planeta. Para ele é função de outra pessoa explorar o planeta.

O Geógrafo sabe toda a teoria, mas não consegue explicar. É o famoso burocrata que não sai de sua mesa e é ele que recomenda a Terra para o Pequeno Príncipe.

É muito raro um oceano secar, é raro uma montanha se mover…

O Astrônomo

O primeiro a descobrir a casa do Pequeno Príncipe, asteroide B-612. O Astrônomo turco não é levado a sério devido as suas vestimentas típicas turcas. Só recebeu o devido valor, após anos depois aparecer com roupas ocidentais.

É o personagem que chama atenção para os adultos sofisticados e materialistas que julgam pelas aparências. Chama atenção para a xenofobia e racismo.

Mas ninguém lhe dera crédito por causa das roupas que usava. As pessoas grandes são assim.

O Vaidoso

Mesmo sendo o único habitante no seu planeta, o Vaidoso ao Pequeno Príncipe para dizer que ele é o mais inteligente, o mais bonito e o mais rico. Isto soa estranho para o protagonista, pois o Vaidoso é o único naquele planeta.

Esse personagem ensina que é necessário reconhecer nossas próprias qualidades e talentos, sem depender da aprovação dos outros. Ou seja, não depender dos elogios dos outros para se auto afirmar.

Mas o vaidoso não ouviu.
Os vaidosos só ouvem elogios.

O Pequeno Príncipe: resumo

O próprio autor do livro é um personagem da história, em que ele inicia no papel de narrador contando as recordações de infância. Ele adorava desenhar, mas alguns adultos lhe aconselhavam a deixar esse sonho para lá, e então ele se empenha na profissão de aviador.

Em uma de suas viagens pelas terras dos desertos do Saara, seu avião cai no meio do deserto. E após adormecer e acordar, se depara com o menino de baixa estatura, cabelos louros e que usava um cachecol vermelho no pescoço.

Ao longo da história, o Pequeno Príncipe conta as suas aventuras para o Piloto.

Conta sobre o seu planeta B-612, que era formando apenas por três vulcões, um que estava extinto e uma Rosa, a pivô do Pequeno Príncipe sair em suas viagens em busca do sentido das coisas.

O Piloto e o personagem principal criam um relacionamento de amizade e conversam sobre tudo, a amizade, o amor, a lealdade e a busca por si.

Ao ouvir as aventuras do Pequeno Príncipe, o Piloto vai percebendo que as pessoas deixam de dar valor as pequenas coisas da vida.

Análise da obra

A parábola do “Pequeno Príncipe” vem cheia de frases importantes que debatem questões poéticas e filosóficas que envolvem desde a perda da infância ao crescimento da pessoa ao longo dos anos.

Veja abaixo algumas das frases mais marcantes da obra literária.

O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.

Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante.

Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz.

As pessoas são solitárias porque constroem muros ao invés de pontes.

É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

Sobre o autor

Imagem de Saint-Exupéry
Saint-Exupéry no Canadá em maio de 1942. (Foto: Wikipédia)

Antoine de Saint-Exupéry foi um escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial. De família aristocrata empobrecida, foi o terceiro filho da condessa Marie Foscolombe e do conde Jean Saint-Exupéry.

Antoine Jean-Baptiste Marie Roger Foscolombe, Conde de Saint-Exupéry, nasceu em 29 de junho de 1900, e morreu em um acidente de avião em 31 de julho de 1944.

Coincidindo com o final da história do Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry desapareceu da terra do nada, pois seu corpo nunca foi encontrado. Em 2004, foram encontrados os destroços da aeronave que ele pilotava, mesmo assim, nada de corpo.

A obra está sob domínio público. Faça o download e boa leitura!

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. O Pequeno Príncipe; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/o-pequeno-principe >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:21.

Copiar referência