Os Miseráveis

Romance que conta a situação política e social da França no século XIX

Os Miseráveis” é um romance escrito pelo autor francês Victor Hugo. A obra foi publicada pela primeira vez em 1862, com lançamento simultâneo em diversos países, inclusive o Brasil.

Somente nas primeiras 24 horas, após a publicação da primeira edição em Paris, foram vendidas todas as 7 mil cópias da obra, se tornando um best-seller na época.

Considerado por muitos como um clássico do Romantismo francês, “Os Miseráveis” é uma das principais obras do francês, juntamente com outro clássico “O Corcunda de Notre Dame”.

Adaptado inúmeras vezes para o cinema e para o teatro (musical da Broadway), para os críticos “Os Miseráveis” é a obra-prima e o ponto mais alto da carreira de Victor Hugo.

O francês começou a escrever “Os Miseráveis” por volta de 1846, mas devido a Revolução de Fevereiro em 1848, o escritor teve que fazer uma pausa.

Voltou a escrever ainda em exílio em 1851 e finalizou “Os Miseráveis”, em 1861, um ano antes a publicação.

“Os Miseráveis” é quase um livro que narra a situação política e social da população francês no século XIX, por meio do personagem Jean Valjean.

Na história, “Os Miseráveis” descreve a vida das pessoas miseráveis e pobres de Paris durante o período da Insurreição Democrática.

Por meio do protagonista, Jean Valjean, o romance faz críticas a sociedade francesa da época, desde a desigualdade social aos dilemas morais individuais das pessoas.

Capa do romance “Os Miseráveis”, por Victor Hugo.
Capa do romance “Os Miseráveis”, por Victor Hugo. (Foto: Site Saraiva)

Estrutura do romance “Os Miseráveis”

“Os Miseráveis” é dividido em cinco volumes:

  • Volume 1 – Fantine: volume que faz a conexão entre o destino de Fantine e de Jean Valjean.
  • Volume 2 – Cosette: volume voltado para vida de clausura e dedicado a perseguição a Jean Valjean.
  • Volume 3 – Marius: volume focado na narrativa do personagem Marius, um moleque de Paris, a alma da cidade.
  • Volume 4 – Idílio da Rua Plumet e epopeia na Rua de S.Diniz: é o volume que contextualiza com o acontecimento que estavam ocorrendo em Paris, em 1832.
  • Volume 5 – Jean Valjean: é o volume com a finalização do romance, com o desfeche da narrativa de Jean Valjean.

Principais personagens

“Os Miseráveis” é um extenso romance repleto de personagens. Contudo, alguns fazem uma breve aparição na narrativa, mas logo cai no esquecimento.

Então, os personagens que estão presente vivamente na narrativa são:

  • Jean Valjean: é o protagonista da história que é condenado por roubar um pão. É rejeitado pela sociedade, mas é acolhido pelo Bispo Myriel e falece com idade avançada.
  • Fantine: uma pobre jovem que é abandonada grávida. Sua filha, Cosette é adotada por Jean Valjean, após agressões pela família Thenardiers que deveria tomar conta dela.
  • Cosette: deixada pela mãe, que foi trabalhar em uma fábrica, aos cuidados da família Thenardiers. Depois aos cuidados de Jean Valjean é educada por freiras em um convento. No final do romance se casa com Myrius Pontmercy.
  • Marius Pontmercy: jovem revolucionário com ideais liberais que se apaixona e se casa com Cosette.
  • Javert: inspetor de polícia obcecado em perseguir Jean Valjean.
  • Thénardier: um estaleiro corrupto juntamente com a mulher, duas filhas e três filhos. Ele e seus familiares são os responsáveis por tomar conta de Cosette, mas a maltrata e abusam dela.

“Os Miseráveis”: resumo da obra

A história tem como cenário a França no século XIX, voltada para o protagonista Jean Valjean.

Jean Valjean é um homem pobre e miserável que após roubar um pão de uma padaria, é condenado a prisão por cinco por anos.

Jean Valjean é órfão tanto de pai quanto de mãe. Perdeu os pais ainda criança, sendo criado por uma irmã mais velha. Contudo, a irmã já tinha sete filhos, e quando ela vem a falecer, ele se torna o sustento da família.

Devido a diversas tentativas de fuga e pelo mau comportamento, Jean Valjean é condenado por dezenove anos a trabalhos forçados.

Após sair da prisão, Jean Valjean é rejeitado por todos, sendo até expulso de hospedaria, devido ao seu comportamento do passado. Até que um bispo bondoso e generoso o acolhe.

Contudo, Jean Valjean trai a confiança do bispo após roubar talheres e castiçais. Quando é pego pela polícia, o bispo ainda o protegendo, mente para a polícia dizendo que tinha dado os objetos a ele.

Daí em diante, Jean Valjean finalmente resolve mudar de vida e passa a ser um homem honesto e do bem, seguindo a lei e as normas morais, de acordo com a religião.

Ele muda de identidade e se torna dono de uma fábrica na Alemanha. Mas ainda vive assobrado pelo passado, por medo de ser reconhecido, especialmente pelo inspetor Javert, um homem que é obcecado pela justiça e que o procurando há anos.

Na fábrica e com nova identidade, ele conhece Fantine. Fantine é uma pobre moça que engravidou de um estudante que a abandonou.

Fantine dar à luz a uma menina que recebe o nome de Cosette, mas que fica sob os cuidados dos Thenadièrs. Sem saber das agressões que Cosette sofria dos Thenadièrs, Fantine envia mesada para menina todo o mês.

Contudo, o supervisor da fábrica descobre o passado de Fantine, e isso resulta em sua demissão. Devido a isso, ela é obrigada a vender os cabelos, os dentes e até a se prostituir.

Quando descobre a situação de Fantine, Jean Valjean adota Cosette e passa a criá-la como filha.

Cosette cresce e conhece Marius, um jovem idealista, com quem se casa. Nos seus últimos momentos, Jean Valjean conta a história do passado de Cosette, relevando o nome da sua mãe.

No tumulo onde é enterrado Jean Valjean, Cosette manda gravar a seguinte homenagem:

Dorme. Viveu na terra em luta contra a sorte
Mal seu anjo voou, pediu refúgio à morte
O caso aconteceu por essa lei sombria
Que faz que a noite chegue, apenas foge o dia!

“Os Miseráveis”: análise da obra

“As Miseráveis” é uma crítica a desigualdade social e da miséria decorrente da função benéfica de uma parte da sociedade francesa, descrevendo de forma viva a injustiça do país na época.

Criticando também o relacionamento conflituoso com o Estado, tanto pela atitude arbitrária da polícia quanto a obsessão pela justiça.

Na obra, as injustiças sociais são denunciadas, evidenciando o motivo que podem levar as pessoas ao crime. Ou seja, é uma situação social que deve ser observada com clareza pela sociedade francesa como um todo, e também pelas autoridades políticas.

Isto quer dizer que o pobre não deve ser excluído por não ter patrimônio material ou até cultural, pois o indivíduo não deve ser julgado pelo o que tem, mas pelo o que é.

Ou seja, o criminoso pode ser uma vítima do meio. Ele não é criminoso apenas por ser criminoso, mas pelas circunstâncias que o brigou a seguir aquele rumo.

As pessoas não nascem más, as pessoas são condicionadas ao mau. Muitas vezes, pela falta de escolha ou por não ter tido nem o direito a preferência pessoal.

Sobre o autor

Victor-Marie Hugo foi escritor, dramaturgo, romancista, poeta, ensaísta, artista e político. Nasceu em 26 de fevereiro de 1802, e faleceu aos 83 anos em 22 de maior de 1885, França.

Além do romance “Os Miseráveis”, é autor do “Corcunda de Notre Dame”. Ele é pertencente ao movimento literário do Romantismo e do Realismo, e suas obras compreendem o gênero literário dramático e romance.

Em 1867, após experiências em centros espíritas, Victor Hugo se torna espírita e acredita fervorosamente na vida após a morte.

Tanto que em algumas de suas obras, ele se manifestou sobre a sua crença na vida após a morte. Por exemplo, no poema “À Villequier”, de 1854:

Eu digo que o túmulo que sobre os mortos se fecha/ Abre o firmamento/ E o que acreditamos aqui em baixo ser o fim/ É o começo.

Além disso, foi um ativista pelos direitos humanos dos franceses, onde teve uma atuação política. Defensor da causa pobre, como mostra em sua obra “Os Miseráveis”.

Em seu testamente, o escritor deixou a seguinte mensagem:

Deixo cinquenta mil francos aos pobres. Desejo ser levado para o cemitério na sua carreta. Recuso a oração de qualquer igreja; peço uma oração a todas as almas. Creio em Deus. Victor Hugo

Escritor e romancista francês "Victor Hugo".
Escritor e romancista francês “Victor Hugo”. (Foto: Wikipédia)

“Os Miseráveis” está disponível em PDF. Faça o download e boa leitura!

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. Os Miseráveis; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/os-miseraveis >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:21.

Copiar referência