Pablo Picasso

Pintor, escultor e desenhista espanhol. Um dos artistas mais conceituados do século XX

Pablo Picasso nasceu no dia 25 de outubro de 1881 em Málaga, Espanha. Filho de María Picasso y López e José Ruiz Blasco, desde criança já demonstrava talento para as artes.

Foi batizado como Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso.

Seu pai era um pintor e desenhista sem muito talento, costumava pintar os pombos que pousavam nos plátanos da Plaza de la Merced e eventualmente pedia que o filho finalizasse os quadros. Foi o primeiro professor do pintor.

Pablo Picasso por Amedeo Modigliani
Retrato de Pablo Picasso por Amedeo Modigliani (Foto: Wikipédia)

Os primeiros desenhos de Pablo Picasso representavam cenas de touradas. A primeira tela preservada do artista foi pintada aos 8 anos e nomeada “O Toureiro”. Picasso carregou esse trabalho durante toda sua vida

Aos 14 anos foi aprovado na Escola de Arte La Lonja e realizava trabalhos que o colocava na série de conceituados pintores de Barcelona, como Santiago Rusiñol e Isidro Nonell.

Na mesma época seu quadro “A Primeira Comunhão” foi exibido em uma famosa exposição da época.  

Em 1897, residente e instalado em um novo ateliê em Madrid, Pablo Picasso inscreveu-se na Real Academia de Belas-Artes de São Fernando, conceituada academia de artes espanhola.

Durante sua estadia em Madrid, Picasso visitava constantemente o Museu do Prado, imitando e inspirando-se em grandes mestres. Entretanto, sua estadia na cidade é curta, pois adoece e é obrigado a recuperar-se em Barcelona.

Em 1900, realizou sua primeira exposição no café Els Quatr Gats, espaço de cultura da vanguarda espanhola. Lá conheceu e competiu com a arte do modernismo, influenciado pela Arte Nova Francesa e pelas vanguardas britânicas.

Nesta época, o desejo de Pablo Picasso é conhecer Paris. Sendo assim, o artista viaja a capital da França e passa a morar com o jornalista e poeta Max Jacob. Passou por esse período diante de muita dificuldade, pobreza e precariedade.

Fases de Pablo Picasso

Durante sua estadia no centro da Arte Moderna, Picasso aprimorou suas habilidades e realizou novos contatos. Lá conheceu André Breton, Guillaume Apollinaire e a escritora Gertrude Stein.

Passou por diversos estilos, buscando sempre inovar seus projetos. Foi influenciado pelo estilo impressionista e passou a aplicá-lo em suas obras.

Entre os anos de 1901 a 1904, Pablo Picasso passou pela fase conhecida como a “Fase Azul”, na qual, suas pinturas predominam cor azul e cores frias.

Com pinturas sombrias e doloridas, Pablo Picasso abordou a solidão, o abandono a pobreza e o desespero em representações de ladrões, mendigos, velhos, doentes e prostitutas, originadas devido o suicídio do seu amigo Carlos Casagemas.

Esse foi um período de dificuldades para o artista, principalmente, financeiro. Os quadros dessa época são marcados pela tristeza e a melancolia.

La Vie de Pablo Picasso
Obra “La Vie” de Pablo Picasso (1903) (Foto: Flickr)

No momento em que se apaixonou pela artista e modelo francesa Fernande Olivier, Pablo Picasso abandonou o desânimo, e iniciou a “Fase Rosa”, marcada entre 1905 e 1906.

Essa nova fase deu lugar a pinturas mais alegres em tons de rosa, laranja e vermelho, caracterizada por temas circenses, com figuras de acrobatas e dançarinos, e também de arlequins.

Muitas das pinturas dessa fase são de Fernande, sua modelo e amor na época. Foi nesse período que Picasso também vivenciou suas primeiras experiências com escultura.

Entre 1906 e 1907, suas obras passam a sofrer influências das artes gregas, ibérica e africana, nomeada de Fase Africana (1907-1909). Foi nesse período que Pablo Picasso pintou “Les Demoiselles d’Avignon”, uma obra com influência da arte tribal marcada por formas geométricas.

As ideias desse período conduziram a realização de pesquisas que resultariam no Cubismo, que dentro desta proposta, levaria Picasso a cruzar diversas fases.

Pablo Picasso desenvolveu junto a Georges Braque um estilo de pintura chamado de Cubismo Analítico (1909–1912), caracterizado pelo uso de cores monocromáticas, sobreposição de planos e geometrização das formas com o intuito de tratar o mundo real tridimensional em uma tela plana.

Em 1912, Picasso realizou sua primeira colagem em telas, inserindo pedaços de jornais, papéis, tecidos e embalagens de cigarros.

Posteriormente, é desenvolvido o Cubismo Sintético (1912–1919), em que a colagem de fragmentos de papel modifica a visão real do objeto pintado. Essa composição foi o primeiro uso da colagem nas artes plásticas.

Amores e Guerra

Em 1917, a convite de Cocteau, Picasso criou a cenografia e acompanhou o ballet russo a Roma. Nesse período, Pablo Picasso já havia se tornado um pintor reconhecido.

Lá conheceu a bailarina Olga Khoklova, um ano depois casou-se em Paris. Durante a gravidez de Olga, Pablo Picasso pintou uma série de telas de mães com filhos. Em 1921 nasce o primeiro filho do casal, Paul Joseph Picasso.

Em 1925, participou da primeira exposição surrealista na Galeria Pierre, em Paris. Dois anos mais tarde, conheceu e se apaixonou pela jovem francesa, Marie-Thérèse Walter, com quem tem uma filha chamada Maya Widmaier-Picasso.

Escultura de Pablo Picasso
Escultura no Daley Plaza de Pablo Picasso (Foto: Wikimedia Commons)

Durante toda Segunda Guerra Mundial, Pablo Picasso dedicou-se também a produção de escultura, gravação e cerâmica. Devido a sua versatilidade, dominou diversas técnicas como o água-forte, água-tinta, ponta-seca, litogravura e gravura sobre linóleo colorido.

Pablo Picasso também era fã da fotografia. fato que que o auxiliou em algumas pinturas. A exemplo, a obra “Guernica” que foi pintada a partir de 36 fotografias.

Em 1943, conheceu a pintora Françoise Gilot, com quem teve mais dois filhos, Claude Pierre Pablo Picasso e Paloma Picasso.

Em 1954, casou-se com Jaqueline Roque e em 1959 comprou o castelo de Vauvenargues, no sul da França, onde viveu o resto da sua vida. 

Morte

Aos 87 anos, Pablo Picasso produziu em sete meses uma série de 347 gravuras recuperando os temas da juventude. Seus últimos quadros foram produzidos de forma simples, algumas delas inspiradas em famosas obras de Velásques, Rembrandt e Monet.

Anos mais tarde, encerrou sua produção artística devido a problemas de saúde. Aos 90 anos tornou-se o primeiro artista vivo a expor seus trabalhos na Grande Galeria do Museu do Louvre.

Pablo Picasso morreu no ano seguinte, em 8 de abril de 1973 na França, aos 91 anos. Encontra-se sepultado no Castelo de Vauvenargues, Aix-en-Provence, Provença-Alpes-Costa Azul, sul de França

Principal obra de Pablo Picasso

Guernica de Pablo Picasso
Obra “Guernica”, de Pablo Picasso (Foto: Flickr)

Pablo Picasso filou-se ao Partido Comunista durante a Segunda Guerra Mundial. Foi nesse período que produziu uma das suas mais famosas obras.

“Guernica” foi inspirada no bombardeio da cidade Guernica no dia 26 de abril de 1937. A pintura a óleo sobre tela foi originada a partir de fotografias que retravavam as destruições e consequências da tragédia.

A obra que também possui uma crítica política causada pelas forças nazistas, traz todo o horror e agonia através de formas geométricas, revelando também o estado de angustia do pintor espanhol por meio da ausência de cores.

A obra foi exibida no pavilhão espanhol, na Exposição Internacional de Paris. Encontra-se exposta no Museu Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madri.

Curiosidades

  • Pablo Picasso era disléxico, tinha um distúrbio de aprendizagem caracterizado pela fala tardia, lenta aprendizagem de novas palavras e atraso na aprendizagem da leitura.
  • Cada relacionamento era o marco de uma transformação no trabalho de Pablo Picasso.
  • Antes do divórcio de sua primeira esposa, Olga Koklova, Picasso a retratou em “Banhista sentada” (1930).
  • Paul, seu primeiro filho, também foram temas de suas pinturas como um “Arlequim” (1924).
  • Durante seu casamento com Françoise Gilot, Picasso pintou “Alegria de viver”
Banhista sentada de Pablo Picasso
Obra “Banhista sentada”, de Pablo Picasso (Foto: Intergalacticrobot)

Citações

O que já fiz não me interessa. Só penso no que ainda não fiz.

Um quadro só vive para quem o olha.

Não há, na arte, nem passado nem futuro. A arte que não estiver no presente jamais será arte.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Pablo Picasso; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/pablo-picasso >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:23.

Copiar referência