Período Helenístico

Era caracterizada pela difusão da cultura grega

O período helenístico é caracterizado como o momento de difusão da cultura grega e formação do maior Império da história antiga. Alexandre Magno foi o imperador que realizou a expansão territorial e conquista do mar Mediterrâneo até a Ásia Central.

As artes plásticas, a literatura e as ciências tiveram grande desenvolvimento na época e influenciou os territórios adquiridos com a expansão. Já a biblioteca de Alexandria foi o grande centro cultural da época, onde ficavam abrigados diversos volumes literários.

Entenda um mais sobre a história do período helenístico e suas influências na cultura e artes.      

Contexto histórico

Os macedônios eram povos que se estabeleceram no norte da Grécia antiga e considerados por muito como bárbaros. Mas em 338 a.C., as forças de Felipe II, rei da Macedônia, derrotaram as tropas de Atenas e Tebas na batalha de  Queroneia. Isso fez com que se chegasse o fim da cultura ateniense e iniciada a expansão territorial macedônia.

Após a morte de Felipe II (em 336 a.C.), seu filho Alexandre Magno (também denominado como Alexandre, o Grande) assumiu o reinado. Durante os 13 anos que ficou no trono, Alexandre conquistou diversos territórios e criou um dos maiores impérios da história antiga. A expansão territorial atingiu Mesopotâmia, Egito, Pérsia, Síria e Índia.

Esses novos territórios passaram a adotar a língua grega, o que ajudou a difundir a cultura dos helenos. Esse também foi um período importante para o desenvolvimento das ciências como medicina e matemática.        

Após o falecimento de Alexandre Magno, em 323 a.C., o Império Macedônico passou por um processo de enfraquecimento com a fragmentação do território e divisão entre os generais. O império de Alexandre chegou ao fim após ser conquistado por Roma.

Fachada da nova biblioteca de Alexandria.
A nova biblioteca de Alexandria é uma homenagem a do período helenístico. (Imagem: Wikimedia)

Influências do período helenístico

O período helenístico influenciou vários aspectos da vida dos povos conquistados. As culturas dos gregos, mediterrâneos e asiáticos se misturaram e isso gerou uma acumulação de conhecimento não observada antes.    

Assim, o espirito livre e a ideia de racionalismo e realismo foram propagados, mas os elementos culturais característicos das diversas localidades foram poupados. O centro da preservação dos conhecimentos se encontrava nas bibliotecas, como a de Alexandria, onde ficavam os rolos de papiros com os dados sobre religião, filosofia e outras ciências.  

As influências do período helenístico se estenderam durante séculos e atingiram até o Império Romano. Os conhecimentos construídos por Alexandre possibilitaram também o desenvolvimento de estudos pelos muçulmanos e até cristãos durante a Idade Média.

Características das artes

No período helenístico, as artes começaram a se aproximar das populações conquistadas. Apresentava, então, características das culturas locais, eram realistas e expressavam diversos aspectos da experiência humana. O cômico, o obsceno, o heroico, a dor e o trágico eram ressaltados. Os movimentos dos corpos e as expressões teatrais tiveram destaque.  

Os elementos religiosos deixaram o plano principal e os artistas passaram a se preocupar em fazer arte decorativa e que pudesse estar em todos os lugares. A cultura helenística representava a realidade e pintava ações dramáticas ou violentas.

Apesar de ser popular, a arte helenística esteva a serviço dos poderosos e soberanos. O Pérgamo (principal centro cultural da época), por exemplo, era frequentado apenas por membros da aristocracia grega. 

Escultura em mármore do período helenístico.
Escultura característica do período helenístico. (Imagem: Wikimedia)

A literatura

Os centros de cultura deslocaram-se para o Oriente. Os poetas e escritores passaram a compor suas obras pensando no público diversificado e com distintas nacionalidades que agora se estabelecia pelo vasto território. A literatura tornara-se realista e cosmopolita (relativa aos centros urbanos).

Novos gêneros literários surgiram e outros se adaptaram aos gostos do espectador. O estudo de documentos antigos e a crítica literária ganharam força e várias obras literárias foram reunidas em enciclopédias.

Entre os gêneros literários mais característicos da época estão:

  • Poesia erudita: este estilo literário caracterizou-se pela prosa ou poemas em metros diversos e ricos. Eram usadas palavras difíceis e com referências a episódios míticos raramente conhecidos. Era necessário um grande conhecimento ou bagagem intelectual para apreciar este tipo de literatura.
  • Poesia pastoral ou bucólica: são os poemas que retratavam a delicadeza da vida campestre, a qualidade dos costumes rurais e a beleza da natureza. Os versos falavam de amores não correspondidos, pastores e mitos referentes ao campo. Os principais poetas do período helenísticos foram Teócrito e Mosco.
  • Mimo: somente no período helenístico que este gênero se desenvolveu. É caracterizado por uma composição curta e dramática de prosas e versos. Era encenado por um ou mais atores que representavam cenas de aspectos do cotidiano. Teócrito e Herondas eram os maiores representantes da época.
  • Epigrama: no período helenístico os epigramas eram versos escritos em livros e que expressavam os mais variados sentimentos. Eram encontrados em dedicatórias, epitáfios, elogios a vencedores.

 A filosofia

O pensamento filosófico do período helenístico sofreu influência das diversas culturas e pensamentos dos povos conquistados. Desta complexidade surgiram correntes filosóficas inovadoras que tinham em comum a busca da tranquilidade espiritual e felicidade.

As principais escolas do período são:

  • Epicurismo: Epicuro de Samos foi o fundador da vertente. Os filósofos dessa corrente entendiam que somente os prazeres moderados contribuiriam para a verdadeira paz de espírito. Quem buscava a felicidade, então, deveria se abster de certos prazeres prejudiciais.
  • Estoicismo: o fundador da escola foi Zenão de Cício. Este pensamento baseava-se na lógica, física e ética para argumentar que a organização cósmica regia a existência dos seres vivos. Assim, o homem deveria aceitar as situações dadas pela vida.
  • Ceticismo: fundada por Pirro de Elis, este pensamento acreditava que o homem não era capaz de formular certezas relacionadas a vida e natureza. Desta maneira, o não julgamento das coisas ajudaria as pessoas a encontrarem a felicidade.
  • Cinismo: a corrente pregava o abandono da posição social, da fama, do dinheiro. Acreditava-se que a felicidade era adquirida quando se levava uma vida simples e despojada.

Biblioteca de Alexandria

Uma das grandes contribuições culturais do período helenístico foram as bibliotecas de Alexandria, Pérgamo e Antióquia. Esses locais eram considerados grandes centros universitários que reuniam intelectuais e grande número de acervo.

A principal delas era a de Alexandria. Não se sabe ao certo, mas acredita-se que durante seu momento áureo o acervo da biblioteca abrigava entre 30 mil a 600 mil documentos. O local também contava com centros de pesquisa, laboratórios, zoológico, jardim botânico, locais de descanso e observatório astronômico.

A biblioteca sofreu com diversos ataques durante os 600 anos de existência e chegou ao fim após incêndio que destruiu parte do acervo.     

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Rosa, Joseane. Período Helenístico; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/periodo-helenistico >. Acesso em 29 de outubro de 2019 às 04:03.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]