Presidentes do Brasil

Conheça as 38 personalidades que governaram o país

Os presidentes do Brasil foram determinantes para a história do país. Desde a escolha do primeiro presidente do país até os dias de hoje, a população pôde vivenciar muitos acontecimentos.

Entre os principais, tivemos: criação de uma nova Constituição, consequências da Primeira Guerra Mundial, repressões da Ditadura Militar no Brasil e a esperança de um país mais democrático com o início da Nova República.

Confira a lista com presidentes do Brasil em ordem cronológica:

Marechal Deodoro da Fonseca (1889-1891)

Marechal Deodoro da Fonseca foi o primeiro presidente do Brasil. Ele assumiu o governo após a Proclamação da República. Em seu mandato, Deodoro da Fonseca promoveu o fechamento do Congresso Nacional e a prisão de políticos opositores.

Marechal Floriano Peixoto (1891-1894)

O governo de Marechal Floriano Peixoto foi marcado por grandes instabilidades políticas. Em sua gestão, Marechal propôs a abertura do Congresso Nacional e ficou conhecido como “Marechal de Ferro” após enfrentar protestos e oposição de setores sociais que questionavam a sua forma de governo.

Prudente de Moraes (1894-1897)

Prudente de Moraes foi o primeiro presidente do Brasil a ser eleito diretamente pelo povo. Com o intuito de combater a inflação elevada presente em seu governo, ele adotou algumas medidas para estimular as indústrias, mas isso fez com que o Brasil aumentasse a dívida externa com outros países.

Manuel Ferraz de Campos Salles (1898-1902)

Em seu governo, Campo Salles tentou pagar uma dívida do Brasil com outros países. Para isso, ele propôs um acordo financeiro conhecido como “Funding Loan”. Pensando em ter o acordo aceito pelos credores ingleses, foram tomadas algumas medidas drásticas, como por exemplo a suspensão de investimentos no setor industrial.

Rodrigues Alves (1902-1906)

No mandato de Rodrigues Alves houve uma conquista importante: a compra do Acre pelo Brasil. A aquisição foi realizada através do Tratado de Petrópolis, em 1903. Outra atitude que marcou a sua gestão foi o investimento na construção de portos, estradas de ferro e avenidas.

Affonso Augusto Moreira Penna (1906-1909)

Em seu governo, Affonso Penna quis adotar uma política de valorização do café. Ele usou recursos para diminuir os prejuízos sofridos pelos produtores, porém a estratégia de estocar o produto provocou uma grande dívida externa. Além disso, fez grandes investimentos no setor ferroviário.

Nilo Procópio Peçanha(1909-1910)

Nilo Peçanha foi um dos presidentes do Brasil com curto mandato. Mesmo com pouco tempo de governo, ele promoveu a reinauguração do Ministério da Agricultura, da Indústria e do Comércio. Peçanha também incentivou o ensino técnico no país com a criação da escola de aprendizes.

Marechal Hermes da Fonseca (1910-1914)

O governo de Marechal Hermes da Fonseca foi marcado por grandes revoluções, entre elas, a Revolução da Chibata (movimento organizado por marinheiros insatisfeitos) e a Guerra do Contestado (rebelião entres os estados do Paraná e Santa Catarina), além de enfrentar greves dos operários.

Wenceslau Braz (1914-1918)

Wenceslau Brás sancionou a lei que deu origem ao primeiro Código Civil do Brasil. Através do documento, o Brasil passou a ser escrito com “S” ao invés de “Z”. Em seu mandato, ele teve que enfrentar os problemas causados pela Primeira Guerra Mundial, bem como as dificuldades no processo de industrialização do país.

Delfim Moreira da Costa Ribeiro (1918-1919)

Delfim Moreira foi outro dos presidentes do Brasil com mandato curto. Mesmo assim, ele promoveu algumas alterações no texto original do Código Civil. A sua gestão teve destaque para grandes problemas sociais, como as greves que vinham acontecendo no país.

Epitácio Pessoa (1919-1922)

O governo de Epitácio Pessoa foi marcado pelo fim da Primeira Guerra Mundial com a assinatura do Tratado de Versalhes. Pessoa foi reconhecido por promover melhorias sociais no estado do Nordeste.

Arthur Bernardes (1922-1926)

Arthur Bernardes foi um dos presidentes do Brasil reconhecido por adotar medidas autoritárias. A restrição da liberdade de imprensa foi uma delas. Além disso, enfrentou várias manifestações tenentistas, como a Revolução de 1924 e grandes manifestações operárias.

Washington Luís (1926-1930)

Washington Luís propôs uma reforma econômica no Brasil com o objetivo de combater a crise instalada no país durante a crise internacional do café. O presidente promoveu algumas melhorias no Brasil, como a construção de novas rodovias e a criação da Polícia Rodoviária Federal, em 1928.

Getúlio Vargas (1930- 1945)

Entre os presidentes do Brasil, Getúlio Vargas foi o que conseguiu governar o país por mais tempo. Seu primeiro mandato durou 15 anos. Ele chegou ao poder através de um golpe organizado por partidos e militares que disputavam por mais espaço no cenário político do país.

Presidentes do Brasil-Getúlio Vargas
Getúlio Vargas governou o Brasil por 15 anos em seu primeiro mandato. (Foto: Wikipédia)

José Linhares (1945-1946)

José Linhares governou o país por um ano, sob a determinação das Forças Armadas, após o fim do golpe que elegeu Getúlio Vargas. Em sua carreira política, ele extinguiu o Tribunal de Segurança Nacional e encerrou o estado de emergência previsto pela Constituição de 1930.

Eurico Gaspar Dutra (1946-1951)

Marechal Eurico Gaspar Dutra incentivou os avanços da economia no país e construiu uma importante rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. Em sua gestão, houve a criação de incentivos favoráveis a instalação de grandes empresas estrangeiras no país.

Getúlio Vargas (1951-1954)

Depois do primeiro mandato que durou 15 anos, Getúlio Vargas voltou ao posto de presidente do Brasil. Em seu segundo mandato, ele construiu a Petrobrás e deu continuidade aos direitos dos trabalhadores. Dessa forma, ele criou a Justiça do Trabalho, estabeleceu o valor do salário mínimo e a instituição da jornada de trabalho para 8 horas.

João Fernandes Café Filho (1954 – 1955)

Em seu pouco tempo de gestão, Café Filho buscou reduzir gastos públicos com a intenção de combater as dificuldades econômicas do Brasil, porém teve dificuldades em formar uma base parlamentar para o seu governo. Filho adoeceu e não pôde dar continuidade as suas propostas.

Carlos Luz (1955)

Carlos Luz assumiu a presidência do país provisoriamente em substituição a Café Filho, que não pôde continuar o seu mandato devido a problemas de saúde. Carlo Luz ficou no poder apenas dois dias, pois também ficou doente.

Nereu Ramos (1955-1956)

Nereu Ramos também assumiu a presidência interinamente após a exoneração de Carlos Luz. Devido ao mandato curto, Nereu Ramos não promoveu avanços políticos, mas após a sua gestão ele foi promovido ao cargo de ministro da Justiça no governo de Juscelino Kubitschek.

Juscelino Kubitschek (1956 – 1961)

Em seu mandato, Juscelino Kubitschek incentivou grandes avanços na indústria automobilística. Com isso, ele abriu a economia do país para o capital internacional e atraiu grandes empresas como a Ford e a Volkswagen. Outro acontecimento marcante do seu governo foi a construção de Brasília, atual capital do Brasil.

Jânio Quadros (1961)

Jânio Quadros, durante a sua gestão, tentou se afastar das políticas tradicionais do Brasil, achando que teria mais liberdade para governar. Mas com isso, ele dificultou as negociações com o Congresso Nacional. Outro destaque do seu mandato foi a construção do Parque Nacional de Xingu.

Ranieri Mazzilli (1961 e 1964)

Ranieri Mazzilli também foi um dos presidentes do Brasil com mandato provisório. Ele assumiu em 1961 (entre a volta de João Goulart de uma missão na China e a renúncia de Jânio Quadros) e em 1964, até ser arrancado do poder por um golpe militar. Em ambos os casos, Mazzilli permaneceu durante 13 dias na presidência do país.

João Goulart (1961 – 1964)

João Goulart foi um dos presidentes do Brasil que mais enfrentou instabilidades políticas. Em seu governo, Goulart combateu o início das conspirações militares, desajustes econômicos e a aproximação com os partidos de esquerda, que apoiavam a via revolucionária.

Castello Branco (1964-1967)

No governo de Castello Branco houve uma disputa entre poderes. De um lado, os castelistas, defendendo uma rápida gestão dos militares, e do outro os cotistas, que defendiam a sua permanência por tempo indeterminado. Com isso, Castello Branco deu início ao mandato como presidente do Brasil durante a Ditadura Militar.

Costa e Silva (1967 -1969)

Costa e Silva promoveu uma reforma administrativa durante o seu governo, implantando uma política voltada para o combate da inflação e expansão do comércio exterior. Em sua gestão, foi instituída a emenda AI-5, ato constitucional considerado o mais duro de todos os decretos da ditadura.

Junta governativa provisória (1969)

A junta provisória governativa era formada por três generais (Aurélio de Lira Tavares, Márcio de Souza e Melo e Augusto Rademaker). Eles assumiram a posição de presidentes do Brasil, interinamente, após o afastamento de Costa e Silva.

Emílio Médici (1969 -1974)

No governo de Emílio Médici o regime militar estava bastante acentuado com o aumento de resistência das repressões. Por isso, houve uma censura mais abrangente aos meios de comunicação e um aumento na tortura contra prisioneiros políticos.

Ernesto Geisel (1974-1979)

Ernesto Geisel foi um dos presidentes do Brasil que assumiu o poder durante o aumento da inflação. Apesar de governar no decurso da ditadura, o presidente pertencia à linha moderada das forças armadas, pois defendia o regime militar como algo passageiro, apenas para assegurar o liberalismo no país.

João Baptista Figueiredo (1979-1985)

O mandato de João Figueiredo marcou o início das transições para um governo mais democrático, após o fim da Ditadura Militar. Ainda assim, o presidente enfrentou crises econômicas, greves e protestos sociais.

José Sarney (1985-1990)

José Sarney foi o primeiro presidente eleito pelo Brasil após a Ditadura. Por isso, o seu governo foi um marco na história da redemocratização do país. Ele assumiu o poder no lugar de Tancredo Neves, que ao ser submetido a uma cirurgia, sequer assumiu ao cargo e faleceu.

Em sua gestão, ele criou o Ministério da Cultura e um plano econômico visando combater os altos índices da inflação.

Fernando Collor de Melo (1990-1992)

Fernando Collor apresentou em seu governo um plano para combater a elevação da inflação. O “Plano Collor” realizou, entre outras propostas, o bloqueio por dezoito meses dos depósitos em contas correntes, congelou preços e salários, e pôs fim aos subsídios e incentivos fiscais.

Contudo, em 1992, acusado de atos de corrupção, Collor de Melo sofreu um impeachment.

Itamar Franco (1992-1995)

O governo de Itamar Franco teve destaque para a criação do Plano Real.  Em sua gestão, foi aplicado um dispositivo constitucional que previa a realização de um plebiscito onde os eleitores poderiam expor a preferência pelo regime político. Com isso, em 1993 a população optou pela permanência da república presidencialista.

Fernando Henrique Cardoso (1995- 2003)

Fernando Henrique Cardoso integra a lista de presidentes reeleitos no Brasil. Em seu governo, deu continuidade aos projetos políticos de Itamar Franco ao completar a privatização e fortalecimento do Plano Real.

Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011)

Luiz Inácio Lula da Silva foi o presidente com maior alcance de popularidade entre os presidentes do Brasil. Antes operário de metalúrgica, Lula deu início a sua carreira política em 2003, trazendo grandes melhorias para o país.

Em seu mandato, reduziu a desigualdade com a inclusão de projetos sociais, ajudou outros países a saírem da crise. Além disso, o presidente conseguiu manter a inflação do país instável durante 7 anos.

Presidentes do Brasil-Lula da Silva
Luis Inácio Lula da Silva, ex presidente do Brasil. (Foto:Wikipedia)

Dilma Rousseff (2011-2016)

Dilma Rousself foi a primeira mulher eleita presidente do Brasil. Ela deu continuidade aos projetos sociais de Lula.

Com isso, ela criou o programa “Minha Casa, Minha Vida“, o “Bolsa- Família” e o “Fundo de Financiamento Estudantil” (FIES), que facilitou a entrada de estudantes nas universidades particulares. Em dezembro de 2016, Dilma sofreu um impeachment e foi obrigada a deixar o cargo.

Michel Elias Temer (2016 – 2018)

Michel Temer foi eleito, em 2016, como presidente interino, após o afastamento de Dilma Rousseff. Durante os dois anos de mandato, várias propostas polêmicas foram lançadas. Entre elas, a manifestação em apoio à Reforma da Previdência (2017) e a aplicação da Reforma Trabalhista. Por conta da insatisfação com o governo do presidente, muitos eleitores foram às ruas pedindo: “Fora Temer”.

Temer permaneceu no poder até dezembro de 2018, 

Jair Messias Bolsonaro (2019 – atual)

Jair Messias Bolsonaro é um ex-militar da reserva do exército. Ele foi eleito deputado por 7 vezes, entre os anos de 1991 a 2018. Jair Bolsonaro, que é filiado ao Partido Social Liberal (PSL), venceu a última eleição para presidente contra o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, e assumiu a presidência em janeiro de 2019.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

MENDONÇA, Camila. Presidentes do Brasil; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/presidentes-do-brasil >. Acesso em 12 de dezembro de 2019 às 08:27.

Copiar referência

Outros Artigos de História

A China antiga tem uma história muito rica.

China Antiga

A China Antiga tem uma vasta contribuição para o desenvolvimento […]

Causas da Segunda Guerra Mundial

As Causas da Segunda Guerra Mundial formaram um conjunto de […]

Todas as causas da Revolução Industrial foram importantes para o desenvolvimento tecnológico.

Causas da Revolução Industrial

As Causas da Revolução Industrial foram eventos que promoveram muitas […]

Monumento em homenagem aos mortos pelas causas da Primeira Guerra Mundial.

Causas da Primeira Guerra Mundial

Uma das Causas da Primeira Guerra Mundial, a razão que […]