Química Orgânica

Essa área é responsável pelo estudo dos compostos carbônicos

A Química Orgânica, segundo Friedrich August Kekulé (1858), é “a parte da química que estuda os compostos que contém carbono”. Dito isso, é importante saber que os compostos orgânicos, em sua maioria, também podem ser formados por oxigênio e o hidrogênio

Ainda que a afirmação de Kekulé esteja correta, nem todo o composto que possui carbono é orgânico, esse é o caso do dióxido de carbono (CO2), do ácido carbônico (H2CO3) e do grafite. Mas ainda assim, todos os compostos orgânicos contêm carbono.

Diversos objetos, presentes em nosso cotidiano, são formados por compostos orgânicos como plástico, gasolina, medicamentos, fibras têxtis, corantes e silicone. Eles podem ser encontrados nos seres vivos, por exemplo, carboidratos, proteínas e lipídios.

Objetos plásticos Química Orgânica
Os canudos de plástico são compostos orgânicos sintéticos. (Foto: Pixabay)

Além da Química Orgânica, a química é dividida em outras quatro áreas de conhecimento. São elas:

  • Química geral e inorgânica: estuda as substâncias inorgânicas e a estrutura da matéria;
  • Química analítica: estuda técnicas de identificação e quantificação de substâncias químicas;
  • Físico-química: as propriedades físicas e químicas da matéria, através dos aspectos termodinâmicos e cinéticos das substâncias;
  • Bioquímica: estuda as reações químicas dos processos biológicos que nos seres vivos.

História da Química Orgânica

A história da Química Orgânica começou por volta no século XIX. Até o início dessa época, os químicos acreditavam que os compostos orgânicos só poderiam ser retirados dos seres vivos, mas nunca produzidos em laboratório.

Tal hipótese começou a ser revista, quando em 1816, Michel Chevreul preparou sabonetes com gorduras e álcalis. Já em 1828, Friedrich Wöhler produziu a ureia (componente da urina), a partir de um composto mineral, o cianato de amônio.

Com essa descoberta, Wöhler realizou outros experimentos e conseguiu sintetizar o metanol e o acetileno. Com esse fato, os químicos abandonaram a ideia de que todo composto orgânico provinha apenas de seres vivos.

A partir do século XX, o avanço da Química Orgânica possibilitou a síntese de moléculas complexas. Hoje, essa área estuda os compostos de carbono e suas características, propriedades, comportamento e diferentes funções.

O elemento carbono

Carbono Química Orgânica
Elemento carbono. (Foto: Wikipédia)

O carbono é um elemento químico não-metálico, localizado na família 4A da Tabela Periódica, com massa atômica 12 e representado simbolicamente pela letra C. Esse elemento é importante para vida animal e vegetal, além de compor os minerais.

O elemento carbono é tetravalente (quatro elétrons na camada de valência), ou seja, ele pode fazer quatro ligações covalentes: quatro ligações simples, duas ligações simples e uma dupla, uma simples e uma tripla ou duas duplas.

Quanto ao número de ligações com outros átomos de carbono, ele pode ser classificado da seguinte maneira:

  • Carbono primário: liga-se a um átomo de carbono;
  • Carbono secundário: liga-se a dois átomos de carbono;
  • Carbono terciário: liga-se a três átomos de carbono;
  • Carbono quaternário: se liga a quatro átomos de carbono.

Os famosos hidrocarbonetos são compostos por átomos de carbono e hidrogênio. A ligação entres eles é chamada de cadeia carbônica, que pode ser classificada em:

  • Abertas, alifática ou acíclica: apresentam duas extremidades ou pontas livres;
  • Fechadas ou cíclicas: não possuem extremidades livres e os átomos que estão ligados entre si formam um ciclo;
  • Mistas: são cadeias abertas e fechadas ao mesmo tempo.

Funções orgânicas

Dentro da Química Orgânica, há uma classificação chamada de funções orgânicas, que agrupam os compostos orgânicos com características físicas e químicas semelhantes. Existem várias funções, as principais são:

Hidrocarbonetos – como já explicado, são substâncias que possuem em sua molécula apenas carbono e oxigênio. São eles:

  • Alcanos
  • Alcenos
  • Alcinos
  • Alcadienos
  • Ciclanos
  • Ciclenos
  • Aromáticos

Compostos orgânicos nitrogenados – possuem o elemento nitrogênio em sua composição. São eles:

  • Aminas
  • Amidas
  • Nitrocompostos
  • Nitrilos
  • Isonitrilos
  • Sais de amônio quaternário

Compostos orgânicos oxigenados – possuem o elemento oxigênio em sua composição. São eles:

  • Álcoois
  • Fenóis
  • Enóis
  • Aldeídos
  • Cetonas
  • Ácidos carboxílicos
  • Sais de ácidos carboxílicos
  • Anidridos
  • Éteres
  • Ésteres

Nomenclatura dos compostos orgânicos

Na Química Orgânica, o nome dos compostos são definidos de acordo com três regras básicas:

  1. Prefixo: indica o número de átomos de carbono da cadeia principal;
  2. Infixo: indica o tipo de ligação principal na cadeia principal;
  3. Sufixo: indica a função principal do composto orgânico.

Exemplos:

Metano (CH4)

Número de carbonos: 1 carbono = Met–

Tipo de ligação entre os carbonos: simples = –an–

Função química do composto: hidrocarboneto = –o

Etanol (C2H5OH)

Número de carbonos: 2 carbonos = Et–

Tipo de ligação entre os carbonos: simples =  –an–

Função química do composto: álcool = –ol

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

CAIUSCA, Alana. Química Orgânica; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/quimica-organica >. Acesso em 18 de novembro de 2019 às 19:52.

Copiar referência

Outros Artigos de Química

formula estrutural condensada linear

Fórmula Estrutural

A fórmula estrutural é uma das fórmulas da química orgânica […]

Forças intermoleculares

Forças Intermoleculares

As forças intermoleculares é um dos assuntos que mais caem […]

Filtração

Filtração

Filtração é um dos métodos da química utilizada para fazer […]

Explosão causada por elementos radioativos

Fissão Nuclear

A fissão nuclear é o processo de divisão de núcleos […]