República Velha

De 1889 a 1930

A República Velha ou Primeira República marcou o início de um novo modelo de governo que começou com a Proclamação da República, realizada por Marechal Deodoro da Fonseca no dia 15 de novembro de 1889 e perdurou até 1930, quando houve a Revolução liderada por Getúlio Vargas.

Esse período provocou grandes transformações no estado brasileiro, acabando com o governo monárquico no país.

Com o fim da Monarquia, o Brasil transformou-se oficialmente em República, tendo como primeiro presidente o militar Deodoro da Fonseca (governo provisório). Esse momento foi dividido em duas fases:

  • República da Espada ou dos Marechais: recebeu esse nome em virtude do período dominado por militares, onde o Brasil foi governado por Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Foi de 1889 a 1894.
  • República Oligárquica: nesse momento o país passou a ser governado pelos “presidentes do Estado”, já que nessa época os governadores eram chamados de presidentes e respeitados da mesma maneira. Além disso, a política estava dividida entre os interesses de oligarquias mineiras e paulistas (política do Café com Leite). Essa fase começou em 1895 e se estendeu até 1930. No vídeo abaixo, confira maiores detalhes sobre a República Velha:

República da Espada (1889-1894)

A Proclamação da República ocorreu através de um Golpe Militar liderado por Marechal Deodoro da Fonseca, que assumiu a presidência do país por meio de um governo provisório até a publicação de uma nova Constituição, já que a antiga de 1824 pregava o imperialismo como principal forma de governo.

No dia seguinte, com a divulgação da nova Constituição em 24 de fevereiro de 1891, o congresso elegeu Deodoro da Fonseca como primeiro presidente militar do Brasil e como vice: Marechal Floriano Peixoto (1891-1894).

O Governo Provisório do então presidente foi marcado pelo desenvolvimento de uma política econômica direcionada para o modelo industrial, onde o ministro da economia Rui Barbosa incentivou a abertura de novas empresas, a emissão de moedas e o protecionismo alfandegário.

No entanto, essas medidas não atingiram o sucesso pretendido, o que deu início a uma das maiores crises financeiras enfrentadas pelo Brasil: o Encilhamento. Durante essa fase da República Velha, houve uma grande procura por empréstimos bancários.

Diante disso, o governo foi obrigado a injetar grande volume de dinheiro na economia. Com isso, muitas empresas foram a falência, o preço de algumas ações caíram e a moeda nacional (libra) foi desvalorizada.

República Oligárquica ou Política do Café com Leite (1895-1930)

Na República velha, esse foi um modelo de governo marcado pela presença dos barões de café liderando o cenário político do país. A política do Café com Leite recebeu esse nome devido a alternância de poder realizada entre cafeicultores paulistas e mineiros.

Como antigamente o voto era aberto, os presidentes sabiam quem eram as pessoas que votavam neles. Por isso, eles angariavam os votos através de promessas e até mesmo ameaças, caso a população negasse o voto aos escolhidos dos coronéis.

Os coronéis, portanto, eram chefes políticos que exerciam influência sobre as mais altas decisões da administração federal. Isso significa que o “coronelismo” da época do Imperialismo continuava vigorando.

Na divisão da República Velha, o Congresso elegeu um grande número de presidentes coronéis e cafeicultores. Os únicos que não faziam parte parte dos estados de Minas Gerais e São Paulo foram: Hermes da Fonseca, Epitácio Pessoa e Washington Luís.

Presidentes

O primeiro presidente civil do Brasil durante a República Velha foi Prudente de Moraes. Ele governou de 1894 a 1898, durante um período de grande agitação política no país. Para tentar rebater a crise que o país enfrentava, Moraes implantou medidas industrias, porém a população estava insatisfeita com os baixos salários.

República Velha - Prudente de Moraes
Prudente de Moraes foi o primeiro presidente civil do Brasil. (Foto: Wikipedia)

Em seu mandato, ele ainda teve que enfrentar a Guerra de Canudos, momento de grande insatisfação do povo do sertão, onde o presidente resolveu o conflito com o uso da força militar e muita repressão.

Em seguida, outros presidentes do Brasil assumiram o poder na fase da República Velha. Entre eles:

  • Campos Salles (1898-1902);
  • Rodrigues Alves (1902-1906);
  • Afonso Pena (1906-1909);
  • Nilo Peçanha (1909-1910);
  • Marechal Hermes da Fonseca (1910-1914): o governo de Hermes foi marcado por grandes movimentos sociais e políticos como a Revolução da Chibata, movimento organizado por marinheiros insatisfeitos com o destrato que eles sofriam no processo de exportação dos produtos; a Guerra do Contestado, movimento de rebelião entre os estados do Paraná e Santa Catarina;
  • Venceslau Brás (1914-1918);
  • Epitácio Pessoa (1918-1922): governou no momento em que a política do Café com Leite já estava perdendo a sua popularidade. Ele foi um presidente que realizou grandes melhorias no estado do nordeste, construiu rodovias e promoveu reformas no exército brasileiro;
  • Arthur Bernardes(1922-1926);
  • Washington Luís (1926-1930): o presidente assumiu o poder durante a crise do Café com Leit. Dessa forma, ele propôs uma reforma econômica no país. Além disso, expandiu a construiu estradas ligando um estado ao outro como a Rio-São Paulo e a Rio-Petrópolis. Luís, no entanto, foi deposto pela Revolução de 1930 e marcou o fim da República Velha no Brasil.

Fim da República Velha

No início de 1930 começavam as eleições para eleger o novo presidente do Brasil, mas de acordo com a política (Café com Leite) seria a vez de um político do Partido Republicano Mineiro (PRM) assumir o poder.

Por sua vez, o partido oposto formado por cafeicultores paulistas e chefiado pelo presidente Washington Luís queria indicar para cadeira presidencial o candidato Júlio Prestes, acabando com o modelo de política vigente.

Diante dessa situação, o PRM aliou-se a políticos da Paraíba e do Rio Grande do Sul, formando a Aliança Liberal (AL) para lançar à presidência o gaúcho Getúlio Vargas. Sendo assim, Prestes saiu vencedor nas eleições de abril de 1930, provocando um grande descontentamento entre os políticos da Aliança Liberal, que alegaram fraudes.

A partir desse momento, o acordo entre os estados de São Paulo e Minas Gerais para eleger o novo presidente do país foi rompido. Os políticos da Aliança Liberal aproveitaram a situação para unir militares e provocar a Revolução de 1930, organizado por Getúlio Vargas. Esse acontecimento marcou o fim da República Velha e o início da Era Vargas.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

MENDONÇA, Camila. República Velha; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/republica-velha >. Acesso em 19 de novembro de 2019 às 05:06.

Copiar referência

Outros Artigos de História

Todas as causas da Revolução Industrial foram importantes para o desenvolvimento tecnológico.

Causas da Revolução Industrial

As Causas da Revolução Industrial foram eventos que promoveram muitas […]

Monumento em homenagem aos mortos pelas causas da Primeira Guerra Mundial.

Causas da Primeira Guerra Mundial

Uma das Causas da Primeira Guerra Mundial, a razão que […]

Causas da Independência do Brasil

As Causas da Independência do Brasil foram uma série de […]

As cavernas eram muito utilizadas antes do período de transição.

Características do período mesolítico

Para entender as características do período mesolítico é necessário compreender, […]