Orações subordinadas adverbiais

Desempenham a função de adjunto adverbial

As orações subordinadas adverbiais têm uma relação de dependência sintática com a oração principal e exercem a função de adjunto adverbial.

O próprio nome das orações subordinadas adverbiais já é gramaticalmente sugestivo. Isso porque o sentido que elas apresentam no contexto oracional é de advérbio ou de locução adverbial.

Conforme a gramática da Língua Portuguesa, a oração principal possui sentido completo. Já as orações subordinadas não possuem sentido completo se estão sozinhas.

Assim, a subordinação não tem sentido próprio porque estabelece uma ordem sintática que depende de outra oração: a principal.

Na sintaxe, essa ordem é marcada através do período composto por subordinação. Leia a oração abaixo:

  • Uma empresa semente atingirá a maturidade quando investir na saúde ocupacional dos seus colaboradores.

A divisão sintática da oração acima ocorre da seguinte forma:

  • “Uma empresa semente atingirá a maturidade” = oração principal
  • “quando investir na saúde ocupacional dos seus colaboradores” = oração subordinada adverbial

Perceba que a oração subordinada adverbial não tem sentido próprio lendo-a sem a introdução da oração principal, conforme dito anteriormente.

Ainda outro detalhe é que a oração subordinada adverbial indica semanticamente uma circunstância de tempo em relação ao acontecimento do contexto oracional. Nesse caso, o investimento na saúde ocupacional dos colaboradores da empresa.

E essa circunstância temporal é apontada pela conjunção “quando”, que é uma das conjunções subordinativas temporais que iniciam esse tipo de oração.

Conjunções subordinativas

Para o estudo das orações subordinadas adverbiais é muito importante conhecer sobre a classificação das conjunções subordinativas.

Isso porque as orações subordinadas adverbiais são iniciadas por conjunções subordinativas ou por locuções conjuntivas que expressam diversas situações circunstanciais em relação aos acontecimentos apontados na oração principal.

Leia abaixo a canção “Cambaio” dos cantores e compositores brasileiros Edu Lobo e Chico Buarque e observe os trechos negritados:

Eu quero moça que me deixe perdido
Procuro moça que me deixe pasmado
Essa moça zoando na minha ideia
Eu quero moça que me deixe zarolho
Procuro moça que me deixe cambaio
Me fervendo na veia
[…]

Observe que os trechos destacados são orações adverbiais iniciadas pela conjunção subordinativa de integração “que”.

Orações subordinadas adverbiais
Existem nove tipos de orações adverbiais. (Foto: Guia Estudo)

Tipos de orações adverbiais

Existem, no português, nove tipos de orações adverbiais. Cada uma delas expressam uma determinada circunstância. Veja:

Orações subordinadas adverbiais causais

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas causais e indicam semanticamente uma circunstância de causa dos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

Exemplos

  • Maria não compareceu à festa da firma porque adoeceu.
  • Não fomos à igreja visto que estávamos muitos cansados da viagem.

Orações subordinadas adverbiais consecutivas

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas consecutivas e indicam semanticamente uma circunstância de consequência dos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • Rafael treinou tanto que ficou com o corpo dolorido.
  • A professora falou tão baixo, de forma que não conseguimos ouvir a aula.

Orações subordinadas adverbiais conformativas

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas conformativas e indicam semanticamente uma circunstância de conformidade dos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • Conforme prometeu, Carlos pagou todos os boletos atrasados hoje.
  • Consoante às regras da instituição, Amanda preferiu seguir atentamente ao trabalho.

Orações subordinadas adverbiais concessivas

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas concessivas e indicam semanticamente uma circunstância de concessão dos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • Brenda gosta muito de ler embora esteja sem o auxílio dos óculos.
  • Manoel nada percebeu, por mais que estivesse vigilante.

Orações subordinadas adverbiais comparativas

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas comparativas e indicam semanticamente uma circunstância de comparação dos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • Neymar joga como um fenômeno do futebol.
  • Exemplo 10: Bruna Marquezine é bonita tanto quanto Najila.

Orações subordinadas adverbiais condicionais

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas condicionais e indicam semanticamente uma circunstância de condição em relação aos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • O jogador Neymar será inocentado desde que a justiça entenda que não houve crime.
  • Os estudantes da escola de Suzano, em São Paulo, seguiram seus sonhos caso consigam superar os traumas psicológicos.

Orações subordinadas adverbiais finais

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas finais e indicam semanticamente uma circunstância de finalidade em relação aos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • O ministro Sérgio Moro usou muitos argumentos para se defender das acusações de parcialidade judicial na Operação Lava Jato.
  • O presidente Jair Bolsonaro é a favor do projeto da reforma da previdência a fim de que não ocorra o déficit previdenciário no país.

Orações subordinadas adverbiais proporcionais

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas proporcionais e indicam semanticamente uma circunstância de proporção em relação aos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • À medida que as horas passavam, Júlia ficava nervosa para a entrevista.
  • A lentidão do trânsito deixava Elaine cada vez mais irritada, ao passo que bateu o carro.

Orações subordinadas adverbiais temporais

São orações que iniciam com as chamadas conjunções subordinativas temporais e indicam semanticamente uma circunstância de tempo em relação aos acontecimentos. Leia os exemplos abaixo:

  • Fico feliz sempre que o Brasil faz gol na Copa América de 2019.
  • Enquanto muitos lamentam, nós trabalhamos duro.
Orações subordinadas adverbiais
A nomenclatura das adverbiais é sugerida pelo próprio aspecto adverbial. (Foto: Pixabay)

Formas reduzidas das orações subordinadas adverbiais

As orações subordinadas adverbiais podem apresentar-se também nas formas reduzidas. Dessa maneira, essas orações terão o núcleo verbal conjugado em uma das formas nominais, ou seja, no gerúndio, particípio ou infinitivo.

Leia abaixo exemplos desse tipo de oração, atente-se para os trechos destacados e perceba a diferença das formas desenvolvidas:

  • Oração subordinada adverbial condicional reduzida de gerúndio
    Estudando, aprenderemos mais português.
  • Oração subordinada adverbial temporal reduzida de particípio
    Distribuídas as atividades, cada colaborador retornou ao seu setor.
  • Oração subordinada adverbial concessiva reduzida de infinitivo
    Apesar de se empenhar muito, Camila não ganhou a premiação.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

ARAÚJO, Andréa. Orações subordinadas adverbiais; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/subordinadas-adverbiais >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:19.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]