Sujeito

Termo essencial da oração

Sujeito é um dos assuntos estudados na função sintática. Trata-se de um dos elementos essenciais para compor uma oração com sentido, sendo  o termo que vai concordar com o verbo e sofrer ou realizar uma ação.

O sujeito pode ser classificado em simples, composto, indeterminado, desinencial ou oculto, oracional e inexistente.

Quando esse assunto é ensinado na escola é comum aprender a identificá-lo através da pergunta ao verbo para saber quem fez a ação ou quem sofreu a ação. 

Em uma frase, o sujeito pode vir expresso por diversas classes gramaticais como substantivos, numerais e pronomes pessoais, demonstrativos, indefinidos ou interrogativos.

A ordem que o sujeito aparece na frase pode ser antes ou depois do predicado, sendo mais comum anteceder. A partir da sua identificação também torna-se possível saber o seu núcleo.

Observe os exemplos a seguir:

  • O dinossauro está extinto.
  • Os dinossauros estão extintos.
  • A criança gosta de brincar.
  • As crianças gostam de brincar.
  • O filho de Francisco passou no vestibular.
  • Os filhos de Francisco passaram no vestibular.

Para saber quem é o sujeito da frase deve-se identificar quem ou o que sofreu ou realizou a ação. Assim, no primeiro exemplo acima percebe-se que algo foi extinto. Esse “algo” que foi extinto refere-se ao dinossauro, assim, infere-se que “dinossauro” é o sofredor da ação. Logo, é o sujeito da frase.

A mesma lógica aplica-se para os demais exemplos. Veja:

  • Os dinossauros estão extintos. (S. = os dinossauros)
  • A criança gosta de brincar. (S. = a criança)
  • As crianças gostam de brincar. (S. = as crianças)
  • O filho de Francisco passou no vestibular. (S. = o filho de Francisco)
  • Os filhos de Francisco passaram no vestibular. (S. = os filhos de Francisco)

 

Sujeito
Sujeito é o termo que vai concordar com o verbo. (Foto: Shutterstock)

Classificação dos sujeitos

Simples

É o tipo que, na oração, possui apenas um núcleo mesmo possuindo mais de uma característica.

Exemplos

  • A gata pariu na caixa.
  • Meu irmão gosta de ler Romance.
  • Eu comprei um par de meias.
  • A bola de basquete é pesada.
  • A pequena criança parecia feliz.

 

Composto

É o tipo que apresenta mais de um núcleo.

Exemplos

  • Ruth e Raquel são personagens famosas da Tv.
  • Matheus e Kauan são meus primos.
  • Livro e música são meu lazer preferido.
  • Eu, você e nossos pais podemos sair mais vezes juntos.

Nota: quando o sujeito composto for formado por pessoas gramaticais diferentes, a concordância deve seguir as seguintes regras: a 1ª pessoa do plural prevalece sobre a 2ª pessoa e assim por diante. Quando for posposto ao verbo, este deverá concordar com o núcleo mais próximo.

Sujeito inexistente ou sem sujeito

A oração sem sujeito, como o nome já diz, não possui agentes da ação.

Exemplos

  • Está na hora de sair.
  • Trovejou ontem durante a madrugada.
  • Há bons palestrantes no evento.

Desinencial (antigo sujeito oculto)

Também pode ser chamado de implícito, determinado ou elíptico. Essa classificação ficou conhecida como sujeito oculto, mas o termo caiu em desuso por questões linguísticas.

Classifica-se nesse tipo o sujeito que aparece implícito na frase. É diferente de sujeito inexistente, pois, nesse caso, existe um sujeito apesar de não ficar explícito.

Exemplos

  • Gostamos de assistir séries. (Quem? Nós).
  • Levou os brinquedos com ela. (Quem? Ele ou ela).
  • A caminho de casa, passei pela na padaria. (Quem? Eu).

Sujeito oracional

Esse tipo designa a oração subordinada substantiva subjetiva. Para encontrar o sujeito oracional deve-se analisar se o termo que falta na oração principal é o sofredor da ação.

Exemplos

  • É bom que você compareça à reunião.     
  • Será necessário que você compareça à biblioteca.
  • Convém que não se atrase na escola.

Nota: os grifos exercem a função de sujeito oracional da oração principal.

Sujeito indeterminado

Classifica-se assim quando o sujeito não fica identificado na frase ou quando o verbo não refere-se a uma pessoa determinada. Para identificar se a oração tem um sujeito indeterminado deve-se analisar se o verbo está na 3ª pessoa do plural sem fazer referência a qualquer agente já expresso.

Geralmente acompanha verbos na 3º pessoa do plural, que não foram citados anteriormente na frase; verbos na 3º pessoa do singular acompanhados da partícula “se” e verbos no infinitivo impessoal.

Exemplos

  • Dizem que haverá greve de ônibus.
  • Estão chamando a moça de camisa azul.
  • Disseram que a comida daquele restaurante é boa.
  • Capturaram o assaltante.
  • Disseram que ela foi escolhida para a vaga.

Núcleo do sujeito

Uma oração pode conter um ou mais sujeitos. Quando ocorre de haver mais de um, o sujeito mais importante é chamado de núcleo do sujeito. Portanto, o núcleo do sujeito é a palavra mais importante dentre os sujeitos da frase.

Exemplo: Minha querida amiga Luana viajou.

Observando o exemplo acima tem-se o sujeito “Minha querida amiga Luana”, formado por quatro termos. Contudo, entre esses termos há um que é mais importante: Luana. Assim, trata-se de ser o núcleo do sujeito.

Exemplos

  • A maravilhosa culinária italiana encanta o mundo.
  • Seu pai Pedro nos visita raramente.
  • A pobre Ana não dançou com ninguém na festa.
  • A pequena criança, mesmo jovem, já passou por muitas dificuldades.
  • Aquela linda moça passava por aqui todos os dias.
  • Todos os dias Davi lia um trechinho do livro que ganhara de presente da madrinha.

Função sintática

Chama-se de função sintática o determinante da função de uma palavra em uma oração. Essa análise exige conhecimento sobre as classes de palavras, pois cada termo de uma frase possui função determinada pela análise de sintaxe.

Termos da oração

Na função sintática, os termos que compõem uma oração podem ser classificados como essenciais, integrantes ou acessórios.

Os termos essenciais da oração são o sujeito e o predicado. Os termos integrantes são o complemento verbal (objeto direto ou indireto); predicativo do sujeito; predicativo do objeto; complemento nominal e agente da passiva. Os termos acessórios da oração são adjunto adnominal; adjunto adverbial e aposto.

Função sintática e classe gramatical

A função sintática, através da análise sintática, determina qual é a função de cada termo em uma frase.

A classe gramatical do termo é definida pela análise morfológica da palavra, que deve ser feita de forma isolada da posição da palavra na oração. As classes gramaticais existentes são o substantivo; adjetivo; verbo; artigo; pronome; advérbio; preposição; conjunção; numeral e interjeição.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

, . Sujeito; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/sujeito >. Acesso em 24 de setembro de 2020 às 01:21.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]