Utopia

Obra de Thomas More que critica a comunidade inglesa ao descrever o modelo ideal de sociedade

Utopia é uma obra do filósofo britânico Thomas More, publicada em 1516, cerca de três décadas depois do descobrimento da América.

Thomas More foi o criador do conceito da palavra “utopia” através dessa obra. Para nomear o livro, juntou duas palavras gregas, “ου” que significa “não” e “τοπος” que quer dizer “lugar”. Ou seja, um “não-lugar”.

O livro faz duras críticas à sociedade inglesa da sua época. O intuito era expor as desigualdades sociais do país, além de afirmar que o parlamento estava sujeito às normas do rei Henrique VIII, vigente na época. 

É uma obra que relata os acontecimentos e como era a vida na Inglaterra dentro da corte e no reino de Henrique VIII, sendo dividido em duas partes: livro primeiro e livro segundo.

Utopia: Livro primeiro

Utopia
Capa do Livro Utopia composta pela imagem de Thomas More. (Foto: Amazon Site)

A primeira parte do livro “Utopia” é marcada pelo primeiro diálogo. Ou seja, a estruturação dos assuntos que serão abordados no livro segundo.

A primeira parte iniciará abordando a tendência dos reis para começar as guerras. Em consequência, as tomadas de decisões que afetam a Europa.

Essas abordagens da obra podem ser relacionadas aos momentos em que o Rei Henrique VIII toma atitudes que implicaram em perseguições a todos que iam contra ele.

 Quando não conseguiu que a Igreja Católica atendesse seu pedido de anular seu casamento,por exemplo, rompeu alianças e passou a seguir o anglicanismo.

Contudo, nem todos concordaram. Então, o rei inicia uma perseguição tanto a Igreja Católica quanto àqueles que se recusavam a se converter, inclusive seu conselheiro da época e autor do livro, Thomas More.

O livro primeiro de “Utopia” é contado em primeira pessoa, em que Thomas More narra um diálogo com o pseudônimo Rafael Hitlodeu. Thomas tenta convencer Rafael Hitlodeu a ser conselheiro na corte, mas ele se recusa.

Rafael alega que sua visão é muito radical e ele não seria ouvido dentro da corte, assim como os reis eram infectados pela corrupção e más opiniões.

Por meio do pseudônimo, Thomas relata os problemas relacionados às desigualdades sociais, à pobreza e às mortes provocadas pela fome daqueles que não tinham terras.

O livro primeiro é a parte realista da obra “pé no chão”, pois se atenta à realidade da sociedade inglesa da época. Além de relatar o absolutismo do Rei Henrique VIII ao passar por cima do parlamento.

Desde de 1215, através da Lei Magna, uma carta que dizia que todo rei deveria ser orientado pelo parlamento.

Utopia: Livro Segundo

É a parte mais importante do livro. Narrado em terceira pessoa, é iniciada a descrição de uma sociedade diferente da encontrada em Londres (Inglaterra). Ou seja, compara Londres a uma ilha chamada Utopia.

Era o modelo perfeito em que tudo aquilo que fazia da Inglaterra um lugar desigual, pobre e corrupto não existia. É a descrição da sociedade ideal em que todos eram iguais.

Utopia era uma sociedade “mágica” em que o dinheiro era algo desnecessário, a propriedade privada não existia, pois os bens eram guardados em armazéns e usados apenas quando a população realmente necessitava. Todos tinham acesso aos serviços públicos.

Todos viviam em comunidade e harmoniosamente. Sem nenhuma falha, sem corrupção, todos respeitavam todos. Tendo como única exigência a crença em Deus. Não importava a religião, desde que acreditasse em Deus.

Desta forma, o ateísmo era desprezado, mas os ateus não eram banidos. Eles eram encorajados a falar sobre as suas crenças com os pastores até que fossem convencidos.

Os habitantes da Utopia aplicam aqui o princípio da posse comum. Para abolir a ideia da propriedade individual e absoluta, trocam de casa a cada dez anos e tiram à sorte da que lhes deve caber na partilha. (MORUS, 1997, p. 81).

Utopia de Thomas More

Com as ideias propostas na obra “Utopia”, mesmo não sendo o enfoque, Thomas More se aproxima dos ideais do socialismo.

Uma sociedade ideal em que a comunidade cristã é formada por grupos sociais diferenciados. Todos exercem suas funções de forma harmoniosa e voltada para o bem comum.

Utopia é uma obra pensada no período renascentista que relata situações atuais e problemas que até hoje são vividos nas sociedades da América Latina, África, Ásia e Terceiro mundo em geral.

Questões sociais como a miséria, o desemprego, os impostos altos e a valorização do trabalhador são alguns dos principais objetivos que naquele período já se buscavam, mas que se perdura até hoje sem que sejam concretizados.

Foi com “Utopia” que Thomas More, no século XVI, em pleno Renascimento criou o que seria a sociedade perfeita,  Uma sociedade sonhada e idealizada, que infelizmente continua sendo a mesma da obra escrita. 

Sobre o autor

Utopia
Estátua de Thomas More em frente do Chelsea Old Church, Londres. (Foto: Wikipedia)

Thomas More, Thomas Morus ou Tomás Moro foi um filósofo, escritor, advogado, diplomata e estadista. Ele seguia fortemente o catolicismo da época, assim como do humanismo.

Filho do juiz sir John More e de Agnes Graunger,  foi casado duas vezes e teve quatro filhos: Margaret, Elizabeth, Cecily e John.

Thomas More nasceu em 7 de fevereiro de 1478 e morreu, aos 57 anos, decapitado em 6 de Julho de 1535, por ter se recusado ao anglicanismo imposto pelo Rei Henrique VIII.

Antes de ser condenado à morte, ocupou o cargo público de “Lord Chancellor” de Henrique VIII.

Tomás Moro é considerado um dos grandes humanistas do Renascimento. No século XVI, foi reconhecido como o maior jurista, humanista cristão e intelectual clássico de sua época.

Sua atitude de negar o anglicanismo é considerada pela Igreja Católica como modelo de fidelidade,declarando-o beato em 1886.

Posteriormente foi canonizado como mártir em 1935. Sua festa litúrgica na Igreja Católica é comemorada no dia 22 de junho.

Utopia é a principal obra de Thomas Morus e se tornou uma obra muito importante na modernidade, a ponto de ser considerada uma espécie de gênero de escrita. Isso porque sua narrativa principal tem como tema a organização política/social ideais, se contrapondo à organização política/social atuais.

A obra está sob domínio público. Faça o download e boa leitura.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. Utopia; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/utopia >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 16:05.

Copiar referência