Vincent van Gogh

A trajetória de um dos maiores artistas do mundo marcada por mudanças e crises

Autorretrato de Vincent van Gogh
Autorretrato de Vincent van Gogh pintado por ele em 1889 (Foto: La Exuberancia de Hades)

Vincent Willem van Gogh nasceu dia 30 de março de 1853 em Brabant de Zundert, pequena aldeia holandesa. Filho de um pastor e de uma artista, seu interesse pela arte teve início ainda na infância, incentivado por sua mãe.

Afastou-se da escola aos 15 anos e nunca mais retornou, desde então começou a trabalhar com seu tio como revendedor de arte. Anos depois foi transferido para Londres, onde se apaixonou pela cultura inglesa e aproximou-se da religião, e posteriormente foi enviado para Paris.

Neste período, sua forte relação com a religião ficou evidente nas cartas escritas para seu irmão Theo compostas por diversas citações da bíblia e relatos de cultos e sermões da igreja.

Após ser dispensado de seu emprego, Vincent van Gogh tornou-se professor assistente em um colégio interno na Inglaterra. Mais tarde, retornou a Londres e ocupou uma posição assalariada em uma escola dirigida por um Vigário.

Depois de tentar e não obter sucesso na admissão para a Escola de Teologia, em Amsterdã, ele seguiu em busca de uma nova missão na Bélgica, onde trabalhou como missionário. Visitou, ensinou e deu leituras da Bíblia aos doentes e crianças, porém foi dispensado devido ao seu temperamento difícil, característica que marcou sua carreira.

Arte

Só em 1880 que Vincent van Gogh decidiu se dedicar a pintura, reproduzindo obras em aquarela inspiradas na vida cotidiana de camponeses e trabalhadores rurais.

Apesar dos seus pais ficarem desapontados pela escolha do filho mais velho, para eles viver da arte era um sinônimo de fracasso, seu irmão Theo lhe apoiou financeiramente para que se dedicasse inteiramente aos seus desenhos.

Uma característica das pinturas de Vincent van Gogh nesta época é a falta de cor, o efeito sombrio de suas obras não facilitaram sua tentativa de comercialização no mercado de arte de Paris.

Cinco anos depois começou a trabalhar em “The Potato Eaters (Os Comedores de Batata), considerada sua primeira obra-prima, retratando camponeses durante uma refeição. De volta a Paris em 1886, Vincent van Gogh tem contato pela primeira vez com o Impressionismo.

Os Comedores de Batata de Vincent van Gogh
Obra “Os Comedores de Batata”, 1885 (Foto: Future House Farm)

No estúdio Fernand Cormon, conheceu e foi influenciado por novos artistas da época, como Henri de Toulouse-Lautrec e Emile Bernard. Essa proximidade refletiu diretamente em seu trabalho, transformando sua arte em composições mais leves e luminosas.

Os temas que ele pintava também mudaram. Trabalhadores rurais deram lugar a cafés e avenidas, o campo ao longo do rio Sena e naturezas mortas florais.

Orelha arrancada

Em busca de paz, sol e paisagens rurais, o pintor Vincent van Gogh muda-se para a cidade de Arles, no sul da França. Lá Vincent praticava sua arte ao ar livre, habito que conservou até morrer e, com entusiasmo, pintou várias obras com girassóis, pomares e colheitas.

Nesta fase, também passou a morar com Paul Gauguin. No começo, a relação entre os dois era tranquila e rendeu excelentes pinturas, porém a divergência de interpretação sobre arte acarretou em inúmeros desentendimentos entre ambos.

Enquanto Gauguin trabalhava com base em memórias e imaginações, Vincent preferia pintar o que via ao seu redor e tal diferença fez com que o estresse aumentasse continuamente.

Afetado pela partida de Paul Gauguin, Vincent van Gogh demostrou sinais de conturbação e foi nestas circunstâncias que ocorreu um dos episódios mais conhecidos na história do artista, ele cortou sua própria orelha com uma navalha.

Após este fato, sua saúde mental oscilou intensamente. Temendo um novo surto, Vincent van Gogh voluntariamente internou-se em um hospital psiquiátrico de Saint-Paul-de-Mausole. Com as crises mais controladas, ele retornou às atividades e transformou seu quarto em ateliê e produzindo cerca de 150 pinturas no período de um ano.

Morte de Vincent van Gogh

Alguns quadros de Vincent van Gogh foram exibidos em Bruxelas no início de 1890. Em maio do mesmo ano, ele deixa o hospital psiquiátrico em Saint-Rémy e muda-se mais uma vez em busca da paz e silêncio que precisava. O destino foi Auvers-sur-Oise, perto suficiente para visitar seu irmão Theo.

Lá conheceu o médico Paul Gachet, com quem fez amizade e foi aconselhado a dedicar-se inteiramente a sua arte. E foi o que Vincent fez. Neste período desenvolvia ao menos um trabalho por dia. Sua saúde também parecia estar melhor.

Seguido por incertezas decorrentes de uma possível crise financeira do seu irmão Theo, os ataques nervosos de Vincent retornaram e ele não conseguia se desenvencilhar de sua tristeza pelo futuro.

Em 27 de julho de 1890, ele entrou em um campo de trigo e atirou no próprio peito com uma pistola. Mesmo ferido, retornou para sua casa. Foi encontrado e levado ao hospital, porém não resistiu ao ferimento e morreu dois dias depois.

Vincent foi enterrado em Auvers em 30 de julho de 1890.

Museu

Durante seus 37 anos de vida, Vincent van Gogh teve pouco reconhecimento como artista. Apesar de ser caracterizado por alguns como um homem improvável, atormentado e com distúrbios comportamentais, ele produzia suas obras em momentos de clareza mental e não durante os surtos.

Hoje é considerado um dos maiores e mais influentes artistas da história da Arte do Pós-Impressionismo. Seu legado foi um grande corpo de obras de arte com mais de 850 pinturas e quase 1.300 obras em papel. Suas pinturas estão entre as mais caras do mercado de arte do mundo.

Em 1914, a mulher do falecido irmão de Vincent publicou a primeira edição das cartas enviadas de Vincent para Theo.

No ano de 1962, a coleção de arte de Vincent foi transferida para a Fundação Vincent van Gogh e em troca, o estado comprometeu-se a construir o Museu van Gogh para que todos tivessem acesso as obras.

Museu Vincent van Gogh
Museu van Gogh (Foto: Ticket Bar)

A rainha Juliana abriu o Museu Van Gogh em 1973 que desde então atrai visitantes de todos os cantos do mundo. Estima-se que dois milhões de pessoas visitem o museu todos os anos.

Obras de Vincent van Gogh

  • “Os comedores de batatas” (1885);
  • “Caveira com cigarro acesso” (1886);
  • “A ponte debaixo de chuva” (1887);
  • “Natureza morta com absinto” (1887);
  • “A italiana” (1887);
  • “A vinha encarnada” (1888);
  • “A casa amarela” (1888);
  • “Autorretrato como artista” (1888);
  • “O terraço do café em Arles à noite” (1888);
  • “Retrato do Dr. Gachet” (1890);
  • “Girassóis” (1888);
  • “Campo de trigo com corvos” (1890);
  • “Vista de Arles com Lírios” (1889);
  • “Noite Estrelada” (1889);
  • “O Escolar” (1889);
  • “O velho moinho” (1888);
  • “Oliveiras” (1889);
  • “Autorretrato com orelha enfaixada” (1889);
  • “Vista de Arles, Pomar em flor” (1889);
  • “A Igreja de Auvers” (1890).

Livros para conhecer toda a história de Vincent van Gogh

  • Van Gogh: A vida, de Steven Naifeh e Gregory White Smith: nesta obra é explorada as relações de Vincent ao longo da sua vida, seus fracassos, sua forte relação com a religião, a constante mudança de cidades, sua orelha mutilada, além de sugerir uma explicação para seu suicídio.
  • Cartas a Théo, de Vincent van Gogh: nas cartas enviadas a seu irmão, Vincent faz uma complexa descrição de suas obras, fala abertamente e reflete sobre seu desequilíbrio mental, prevê suas crises que se tornam mais frequentes e que resultaram no fim da sua vida.
  • As cores de van Gogh, de Claire Merleau-Ponty: voltado ao público infantil, o livro proporciona o contato com as obras do artista de forma criativa, buscando detalhes e informações sobre o artista em meio a seus quadros.

Curiosidades sobre Vincent van Gogh

  • Existem quatro Vincent Willem Van Gogh além do pintor: seu avô, seu irmão mais velho, que morreu no parto, e seu sobrinho, filho de Theo.
  • Enquanto vivo, Vincent Van Gogh vendeu apenas um quadro, o “The Red Vineyard” (traduzido como “Vinhedo Vermelho”), sete meses antes de sua morte.
  • “Noite Estrelada”, uma das suas obras mais famosas, foi feita em um manicômio quando o pintor se internou voluntariamente para recuperar-se de um colapso nervoso.
  • Lançado em 2017 e indicado ao Oscar, o filme “Com Amor, Van Gogh” expõe os últimos anos de vida do pintor. É o primeiro filme totalmente feito com pinturas a óleo. Confira:

Citações

Se escutar uma voz dentro de você dizendo 'Você não é um pintor', então pinte sem parar, de todos os modos possíveis, e aquela voz será silenciada.

O resultado do pensamento não tem de ser o sentimento mas a atividade.

Acredito cada vez mais que não se deve julgar o bom Deus por este mundo, pois foi um estudo dele que saiu errado.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Vincent van Gogh; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/vincent-van-gogh >. Acesso em 18 de novembro de 2019 às 16:30.

Copiar referência