Wicca

Vertente religiosa do neopaganismo

Wicca é uma religião que pertence as correntes do novo paganismo, baseando-se no uso de magia para cultuar os elementos da natureza.

Popularizada pelo inglês Gerald Gardner, a chamada religião natural acredita na existência de mundos paralelos e na força feminina e da natureza, pois, para os seguidores, ela é a verdadeira criadora de todas as coisas.

A termologia "Wicca" apresenta duas origens. A primeira vem da palavra “witch”, que significa moldar ou dobrar. Já a segunda tem origem na palavra germânica “wit”, que remete a ideia de saber ou sabedoria.

O movimento religioso é politeísta, porém duas divindades possuem destaque: a Deusa Mãe e Cernunos (Deus dos Chifres). Os dois se completam e são responsáveis pelo equilíbrio do universo.

Nascimento da Wicca

Acredita-se que os conceitos Wicca surgiram no Período Neolítico, especificamente com os Celtas. Para esses povos a conexão com a natureza era a principal forma de alcançar as divindades.

No início do século XX, Gardner atualizou as teorias da religião, assumindo a missão de desassociar a bruxaria do satanismo, pois nunca houve na religião as concepções de inferno, céu e a crença na existência do diabo.

A própria figura do demônio, um homem com chifres e patas de bode, se assemelha à imagem de Cernunos. Isso mostra como as religiões de base cristã transformaram as divindades neopagãs em seres maléficos. 

A bruxaria foi extremamente perseguida durante longos anos. Inclusive, até a década de 50, a atividade era banida no Reino Unido.

Crenças da Wicca

Como a Wicca é uma religião ligada à terra, os deuses representam o seu poder mágico.  A Deusa Mãe – que simboliza a criação do universo e a fertilidade – se configura nas fases da vida feminina: inocência (virgindade), plenitude (mãe) e sabedoria (anciã).

Já Cernunos, também conhecido como Deus Cornífero, nasce, morre e renasce, da mesma maneira que acontece com a vida dos homens e das plantas.

Além das divindades com gêneros diferentes, os wiccanos acreditam em reencarnação e no poder do retorno (Lei Tríplice) – ações ruins voltam com três vezes mais intensidade para quem as cometeu.

Creem também que após a morte suas almas vão para um ambiente chamado de Summerland, podendo retornar no momento que quiserem.

Os adeptos comemoram os ciclos da natureza (estações do ano, início e fim de um novo ano, entre outros) nos períodos de solstícios ou shabats.

Rituais

Os wiccanos têm a liberdade de escolher se farão rituais em grupo ou buscarão a jornada espiritual individualmente, desde que sigam algumas normas gerais.

Eles são feitos de acordo com as fases da lua, solstícios (verão e inverno) e equinócios.

Nas cerimônias, um círculo deve ser desenhado duas vezes em sinal de agradecimento a Deusa Mãe e Cernunos. Depois do preparo do círculo, orações precisam ser repetidas algumas vezes.

Velas são colocadas nos pontos principais do círculo para simbolizar os quatro elementos naturais (terra, água, ar e fogo). Além disso, mergulham uma adaga no cálice para caracterizar a união entre o homem e a mulher, pois a religião é voltada para questões da fertilidade.

Geralmente os praticantes da Wicca possuem o Livro das Sombras, uma espécie de diário pessoal com relatos de experiências espirituais, sonhos ou receitas de novas magias.

Símbolos da Wicca

Vários símbolos wiccanos são comuns entre as vertentes neopagãs.

Pentagrama

Wicca
Uma das representações mais antigas e importantes das religiões neopagãs (Foto: Pixabay)

Estrela com cinco pontas que simboliza o corpo, os cinco elementos da natureza (ar, água, fogo, terra e o espírito), a junção dos cosmos, o feminino e o masculino.  Cada uma das pontas significam:

  • Espírito: retrata os deuses, já que eles orientam a vida humana.
  • Terra: representa os mistérios, a força e magnitude da fertilidade e crescimento.
  • Ar: corresponde à inteligência, ao poder da sabedoria, a potência da comunicação e da criatividade.
  • Água: representa as emoções, o inconsciente, as forças da mobilidade e adaptabilidade.
  • Fogo: caracteriza as mudanças, as transformações, e as forças da agilidade.

Lua tripla

Também conhecida como triluna, caracteriza as três fases da lua e da Deusa Mãe: donzela, mãe e anciã. É um dos principais símbolos da religião, pois cada momento representa o nascimento, a criação, a sexualidade, o respeito, a sabedoria, o repouso e a morte.

Triplo círculo

O triplo círculo também está ligado à natureza e seus elementos. É uma espécie de talismã usado nos rituais de invocação da Deusa Tripla (mente, corpo e espírito). Essa divindade não é a mesma que a Deusa Mãe.

Ankh

Cruz egípcia usada na bruxaria moderna, porém inspirada na tradição celta. É um tipo de amuleto que simboliza a imortalidade e os efeitos gerados pelas conexões com o divino.

Olhos de Hórus

Utilizado, especialmente, pelos grupos que seguem a vertente egípcia da Wicca. É outro tipo de amuleto e caracteriza a força, o poder, a visão e a cura.

Símbolo da Wicca
“O olho que tudo vê” (Foto: Pixabay)

O lado esquerdo também simboliza a lua, o feminino e a competência em enxergar as energias espirituais. O lado direito remete ao sol, ao masculino e a capacidade de observar a parte física e mental.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

SANTOS, Thamires. Wicca; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/wicca >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:16.

Copiar referência

Outros Artigos de Religião

Dez Pragas do Egito 7

Dez Pragas do Egito

As Dez Pragas do Egito foram dez desastres que ocorreram […]

catolicismo

Catolicismo

O catolicismo é uma religião cristã que se tornou oficial […]

Sincretismo e Religiões Afro-brasileiras

O sincretismo é definido como a fusão de várias religiões. […]

Igreja Ortodoxa

Igreja Ortodoxa

A Igreja Ortodoxa reúne a segunda maior comunidade cristã do […]