Winston Churchill

Primeiro-ministro do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial

Winston Churchill foi um político conservador, historiador e escritor. Nomeado primeiro-ministro do Reino Unido por duas vezes, ficou conhecido principalmente por sua atuação durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, foi o único primeiro-ministro britânico a ter recebido o Prêmio Nobel de Literatura e a cidadania honorária dos Estados Unidos.

Ex-primeiro-ministro Winston Churchill
Ex-primeiro-ministro Winston Churchill (1874-1965). (Foto: Wikipédia)

Infância e formação

Winston Leonard Spencer Churchill nasceu no dia 30 de novembro de 1874 no Palácio de Blenheim, cidade de Woodstock, na Inglaterra, na família dos nobres Duques de Marlborough.

Seu pai, lorde Randolph Churchill, foi um conhecido político conservador inglês que chegou a ser primeiro-ministro. Sua mãe, a norte-americana Jennie Jerome, pertencia a alta sociedade.

Quando criança, Winston Churchill tinha dificuldades na dicção. Pertencente a uma abastarda família, foi educado em um rígido e prestigiado colégio de Dublin, na Irlanda. Considerado uma criança rebelde, Churchill discordava da disciplina escolar.

Em sua terceira tentativa, conseguiu ingressar na Academia Militar de Sandhurst, onde se formou Tenente-Coronel. Em 1895, um mês após ficar órfão de pai, serviu como oficial subalterno no regimento de Hussardos da 4ª Rainha.

Após participar de alguns conflitos armados, Winston Churchill atuou como correspondente em Cuba. Em seguida foi transferido para a segunda guerra Anglo-Afegã, lá passou a ser colunista de importantes jornais e revistas da época.

Em seu 25º aniversário, em novembro de 1899, Churchill publicou dois livros baseados em suas atribuições como correspondente de guerra, “A História da Força de Campo de Malakand” e “A Guerra do Rio”.

No mesmo ano, não conseguiu se eleger como parlamentar britânico. Assim, foi embora para a África do Sul, que até então era uma colônia inglesa, com a intenção de seguir na carreira jornalística.

Durante a Guerra dos Bôeres, na qual esteve muito envolvido e se tornou prisioneiro, Churchill protagonizou uma fuga que o tornou mundialmente conhecido. O relato dessa história lhe rendeu a obra “De Londres a Ladysmith”.

Política

Seguindo os passos do pai, em 1900, Winston Churchill finalmente conseguiu ingressar na política. Apoiado pelo Partido Conservador, foi eleito deputado. No entanto, rompeu com o Partido quatro anos mais tarde devido à política social dos Conservadores.

Em 1906, juntou-se ao Partido Liberal e foi convidado para o Governo, foi nomeado subsecretário de Estado para as Colónias. Mais tarde, em 1908, passou a integrar a pasta de Presidente da Junta de Comércio.

Primeira Guerra Mundial (1914-1915)

Após as eleições de 1910, atuou como Secretário do Interior e, finalmente, em 1911, tornou-se primeiro Lord do Almirantado, um cargo de alto prestígio na Marinha Britânica.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Winston Churchill ainda era o primeiro Lord do Almirantado, serviu a Marinha Britânica e foi responsável por impor uma política de reforço e modernização.

Contudo, foi considerado o principal responsável pela trágica campanha na Batalha de Gallipoli, que causou a morte de milhares de soldados britânicos, franceses e de outras nações aliadas, e resultou em sua demissão do cargo.

Após o fim da guerra, Churchill tornou-se cada vez mais conservador. Quando o comunismo começou a se expandir na Europa, por consequência da Revolução Russa, Winston Churchill foi um dos políticos contrários ao movimento.

Regressou ao Parlamento em 1916, e continuou a participar ativamente da política, como Ministro da Guerra (1919-1921) e Ministro das Colónias (1921-1922) em governos liberais. Em 1924, voltou a integrar o Partido Conservador, sendo nomeado Ministro das Finanças (1924-1929).

Entre os anos de 1929 a 1939, Winston Churchill não fez parte de nenhum governo, mas continuou a ser eleito para o Parlamento, onde advertia os riscos que Adolf Hitler representava para a Paz.

Segunda Guerra Mundial (1939-1945)

Em 1939, quando os nazistas invadiram a Polônia, a Inglaterra declarou guerra contra a Alemanha e Winston Churchill foi novamente nomeado Primeiro Lorde do Almirantado.

Em 1940, no momento em que a Alemanha deu início a ofensiva ao Ocidente invadindo a Holanda, a Bélgica, o Luxemburgo e a França, Churchill tornou-se primeiro-ministro, aos 65 anos de idade.

A dificuldade na fala já não era mais um problema. Winston Churchill havia se tornando um orador de discursos históricos e motivacionais. Durante a sua liderança, no enfrentamento a Hitler e à Segunda Guerra, declarou:

“Não tenho nada a oferecer, para além de sangue, sofrimento, lágrimas e suor.”

Sua política de intolerância para com os nazistas, as alianças e apoios estratégicos fizeram Churchill ser respeitado e admirado em todo mundo. Mesmo diante de algumas derrotas, o ministro não abandonou seu povo.

Por fim, aliado à União Soviética, desde o primeiro momento da invasão alemã, e com o apoio e depois a participação ativa dos Estados Unidos na guerra, a Inglaterra acabou por derrotar a Alemanha nazista de Hitler.

Mesmo com a vitória na Segunda Guerra Mundial, em 1945 os conservadores de Winston Churchill perderam as eleições para os trabalhistas. Só em 1951, após ampla vitória dos conservadores que Churchill voltou ao cargo de primeiro-ministro, então 76 anos de idade.

Últimos anos

Em março de 1955, Winston Churchill anunciou sua renúncia ao mandato de primeiro-ministro. Continuou na Câmara dos Comuns até seus últimos dias de vida, mas teve uma atuação parlamentar discreta.

Em 21 de junho do mesmo ano foi inaugurada pela prefeitura de Londres a estátua de Churchill com a presença dele próprio. Aos 89 anos, o ex-primeiro-ministro foi homenageado com o título de cidadão honorário dos Estados Unidos pelo então presidente John Kennedy.

Winston Churchill faleceu em Londres, no dia 24 de janeiro de 1965.

Obras de Winston Churchill

Além de militar e político, Winston Churchill teve uma reconhecida carreira literária. Além do seu pulso firme contra os avanços dos nazistas pelo continente, foi um escritor prolífico, tendo publicado sob o nome literário de Winston S. Churchill.

Entre a década de 20 e 30, durante o período em que permaneceu afastado do governo, Churchill dedicou-se ainda mais a literatura, fato que lhe rendeu um Prêmio Nobel, em 1953, por suas memórias de guerra e seu trabalho literário e jornalístico.

O seu primeiro livro publicado foi “The Story of the Field Force Malakand”, onde detalha a campanha militar britânica na antiga província de North-West Frontier Province em 1897, uma zona geográfica que atualmente faz parte do Paquistão e do Afeganistão.

O segundo livro de Churchill, “The River War”, escrito em 1899, quando ele ainda era um oficial do exército britânico, descreve a reconquista britânica do Sudão. Entre outras obras de sua autoria, destacam-se:

  • A Guerra do Rio (1899);
  • De Londres a Ladysmith (1900);
  • Minha Viagem Africana (1908);
  • A Crise Mundial (1923 a 1931);
  • A Minha Juventude (1930);
  • Índia (1931);
  • Pensamentos e Aventuras (1932);
  • Grandes Contemporâneos (1937);
  • A Segunda Guerra Mundial (seis volumes:1948-1954) e;
  • Uma História dos Povos de Língua Inglesa (1956 a 1958).

Citações

Na guerra, resolução; na derrota, desafio; na vitória, magnanimidade; em paz, boa vontade.

A vida dá lições que só se dão uma vez.

Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes.

A maior lição da vida é a de que, às vezes, até os tolos têm razão.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

, . Winston Churchill; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/winston-churchill >. Acesso em 24 de setembro de 2020 às 01:31.

Copiar referência